terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Precisa-se de um sopro de vida

Olá, amigas, como estão? Espero que bem. Eu estou nota 8,5, digamos.

Estou sem muitas novidades. Digamos que as férias têm me deixado meio entediada, mas "cala-te, boca!", não é mesmo? Se estivesse trabalhando, iria querer férias... Coisas importantes para fazer, eu até tenho. Mas quero deixar para depois que passarem as Festas, sabem? Por enquanto, eu só tô fazendo o que me dá na telha, arrumando uma coisinha aqui, outra ali, por hobby. Dormindo tarde e acordando tarde. Isso não é muito bom, mas é hábito.

Eu me sinto bem executando tarefas. Eu, inclusive, estou fazendo aquele listinha de "101 coisas para fazer em 1001 dias". Não vou pôr nenhuma meta pessoal, como casar, ficar noiva, ter filhos, etc, porque a vida não é assim também, eu acho. Não é tão simples traçar metas pessoais, é até arriscado.

Eu vou deixar a minha lista de 101 coisas privativa, ou seja, nem pretendo publicar em algum blog. Mesmo porque não é nada extremamente interessante; a maioria é de pendências eternas, sabem, que eu quero botar um ponto final logo. Poucas coisas são realmente difíceis. Grande parte é para, no final das contas, eu ser mais disciplinada e terminar o que começo.

Quanto à alimentação, eu ando comendo muitas besteiras, mas em quantidade não muito grande. E também tenho tomado bastante água. Exercícios físicos, só os do dia-a-dia de arrumar as coisas, ir para lá e para cá.

Eu tô comendo um pouco além da conta por ansiedade. Hoje, eu estava lendo aquela matéria que saiu na revista Superinteressante, no começo do ano, sobre dietas. Quem não leu e tiver curiosidade, a reportagem foi transcrita aqui. Tem uma hora em que uma especialista fala o seguinte:

"É mais fácil entrar numa dieta com a esperança de que ela fará você se sentir melhor do que tentar entender a sua ansiedade."

Eu acho que estou meio assim... Não que eu esteja entrando numa dieta radical e tals. Eu estou é um pouco ansiosa e insatisfeita e não quero pensar sobre isso, entendem?

Eu estou fazendo uma oração toda noite, para esquecer certos problemas do passado. E, numa parte, fala-se mais ou menos assim: "O passado não existe, assim como o futuro também não existe. A minha vida é o que eu sou hoje". Isso me deixa meio chocada, sabem? Não sei se fui clara. Mas talvez eu esteja achando a minha vida presente meio entediante e me perguntado, inconscientemente: "nossa, mas a minha vida é só isso, então?"...

Hehehehe. É, eu mesma reconheço que estou sendo radical, exagerando. Tenho objetivos a cumprir na minha vida, mas não posso viver esperando que a felicidade plena só esteja no futuro. Isso também não é saudável. Mas deixemos de desabafos e divagações, por isso cansa! Vou pensar mais sobre isso no momento certo... E não vai demorar!

Mudando de assunto: Gente, o meu cabelo está TÃO horrível que parece que eu me esforço para ele ficar feio! Afff!!! Amanhã eu vou usar aquela ampola de Vitamina E, de que eu falei no último post. Vamos ver! Daqui a umas semanas, eu vou mudar a cor também, porque estou achando a atual feia ¬¬. É incrível: eu não dou sorte com cabeleireiros! Uma hora algum acerta, mas depois acaba errando!!! Tanto faz ir num cabeleireiro caro ou no salão do bairro. Não faz diferença (além do meu bolso!).


Bem, creio que seja isso... Relaxemos para o Ano Novo ;).

Um bom final de ano para todas!
Que 2010 seja o melhor ano das nossas vidas! :)


Um abração!

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Meu Natal de 2009

Olá, amigas. É noite de Natal e minha véspera e suas conseqüências (ceia, orações e confraternização, etc) já passaram. Como quem eu amo já está até dormindo, vim aqui fazer uma das coisas que eu amo: ficar na internet, blogar ;).

Bem, bem, bem... Acordei hoje, dia 24, e me pesei: 60,7 kg - uma variação de 700 g em relação à semana passada. Mas não fiquei triste, achei normal.

Como ninguém aqui em casa se dispõe a cozinhar para a ceia de Natal, nem recebemos convite para cear de nenhuma família amiga, resolvemos ir jantar numa churrascaria rodízio. E a sugestão foi minha... Fazia tempo que eu estava com vontade de ir a uma. Durante o dia, eu nem comi muito para "guardar" meu estômago, meu organismo e minha fome para o jantar. Lá, eu comi DEMAIS principalmente do menu de saladas, etc, pois não sou muito chegada a carnes. E tomei uma taça de vinho tinto seco ;) e comi uma fatia de torta trufada de sobremesa.

Eu fui a única da família a não sair passando mal e estufando de lá. O segredo? Mesmo ingerindo muita coisa, eu comi devagar e com calma. Se tivesse comido no ritmo frenético que os servidores (?) de carne íam à nossa mesa, eu teria passado mal. Mas não. Só tive uma pequena indisposição que passou rápido.

E daqui para a frente? Creio que seja o de sempre:
- policiar-me quanto à ingestão de água, ou seja, tomar mais!
- ter mais calma e comedimento às horas de refeição, pois, assim, eu não me empanturro.
- dar umas passeadas por aí até o Ano Novo (chácara, corrida com meu namorado, essas coisas). E essas serão as minhas atividades físicas até o começo de janeiro, quando, provavelmente, retomo a academia. (Ah, e meu planejamento para 2010 é ir à academia 3 vezes por semana e só.)

Acredito que seja isso que eu tinha para falar sobre o meu Natal. Além de que eu não me arrependo de nenhum comportamento nesses dias ;). Ah, e tambem consegui cumprir todas as tarefas a quu eu tinha me disposto a fazer nesta curta semana útil.

---
Ontem, eu fui ao cabeleireiro dar um jeito no meu cabelo, que estava muito pesado e despontado, e também retocar as luzes. Aí o pessoal do salão sugeriu que eu fizesse uma hidratação. beleza. Utilizaram uma ampolinha da Kérastase, mas não me lembro exatamente da qual (era um vidrinho meio verde... ou meio azul, hahaha). Enfim, a minha opinião? Não é muito boa, pois meus cabelos não ficaram muito macios - estão ressecados, aliás. Além disso, a hidratação toda (ampolinha + aplicação) é cara: 50 reais. Não recomendo e não repetirei. Bom, mas também nunca me dei muito bem com os produtos da Kérastase, pois nunca os considerei muito eficazes... Mas acredito que deva ter gente que ama...

Meu cabelo está numa situação tal que eu serei obrigada a aderir a hidratações semanais ou quinzenais - práticas para as quais eu nunca tive paciência alguma. E vou fazer em casa, para economizar. Já comprei uma ampolinha e vou ir testanto uma por vez, para experimentar. Depois conto os resultados aqui.

Mais para a frente, pararei de tingir e fazer luzes no cabelo; dexarei-os na cor natural. E cortarei o cabelo na altura do ombro. Sabe quando você está sem paciência para ficar atrás de salão, horários disponíveis do cabeleireiro, perder um dia da sua vida para ficar atrás de cabelo? Pois é, eu estou assim - pelo menos, por enquanto.

----
Amigas, ainda é Natal :). E eu espero que vocês estejam muito bem, com quem vocês amam, fazendo o que gostam, da melhor forma possível. Na minha opinião, celebrar o Natal é relembrar dos ensinamentos de Jesus para que conduzamos melhor as nossas vidas.
E eu desejo a vocês o que pedi a mim mesma na minha oração de Natal: que Deus sempre lhes mostre e lhes conduza pelos melhores caminhos!

Um abraço a todas!


segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Tédio e beleza

Hoje foi um dia que não começou muito legal, devido à minha própria disposição, sabem?

E vários fatores contribuíram - ou melhor, eu deixei que contribuíssem - para eu ficar aborrecida:
-muito calor;
-telefonemas não atendidos e, logo, compromissos em a ver;
-tarefas maçantes;
-ansiedade para fazer logo tudo o que eu tenho que cumprir.

Segunda-feira é draga, né?! E tem gente que não gosta do domingo...

Até o meu estômago voltou a doer. Eu estava a ponto de me sentir como o personagem Mersault de um livro que eu li uma vez - O Estrangeiro: Num certo momento da narrativa, Mersault tem uma vertigem, por causa do sol escaldante, e mata uma pessoa. A diferença é que o tédio é que estava me matando.

Então, eu resolvi comprar umas coisinhas gostosas para comer (Danoninho, Choco Milk Shake), tomei um banho de sal grosso, etc. Dei uma melhorada. Mas depois conversei com o meu namorado e voltei a ficar aborrecida ¬¬, por conta de "nóias".

Quando eu não estou me sentindo muito bem, eu recorro a várias estratégias: incenso, banho de sal grosso, ler, entre outras coisas. Costumo, também, acessar ao fórum Além do Segredo. Hoje, resolvi dar uma lida por lá e cheguei bem num tópico sobre auto-estima: Auto-estima e a Técnica do Espelho.

Não sei se daria certo para mim a técnica que é proposta para melhorar a autoestima e nem vou testar agora. Mas certos trechos do post - os quais foram transcritos de um livro de Louise Hay - me chamaram a atenção:

Você nunca terá uma boa auto-estima se alimentar pensamentos negativos a seu respeito.

A auto-estima nada mais é do que se sentir bem consigo próprio e, a partir disso, desenvolver a confiança em si mesmo. Esta confiança cria a auto-estima, e uma se alimenta da outra. Se você mantiver esse ritmo, conseguirá praticamente qualquer coisa.

Como a auto estima decorre do que vc pensa a seu respeito, você tem a liberdade de pensar o que quiser. Então por que se depreciar?

De fato: POR QUE SE DEPRECIAR?

Depois que eu li este texto, comecei a me sentir melhor, menos chateada e aborrecida. E queria compartilhar isso aqui no blog ;).

----
Comprei uns produtinhos da Avon e da Natura, que chegaram no últimos dias:
- Um Shampoo Advance Techniques Liso Intenso.
- Um Renew Clinical Tri-Laser Corretor de Estrias e Celulite - tudo isso, ui! Comprei porque estava na promoção, já o preço normal é salgadinho (R$60,00)
- Um acessório para cabelo chamado "Agulha Modeladora", da marca Dompel, o qual eu ainda não entendi como usar.
- Um blush na cor #06 da Linha Aquarela da Natura.

Eu praticamente não experimentei nada. Mal abri as embalagens. Quero começar a usar certos produtos (como o shampoo e o antiestrias) só depois de acabar os outros similares que já estou usando. Mais para a frente, eu conto aqui as minhas impressões.

No entanto, já posso deixar registrada uma RESOLUÇÃO para 2010: ficar SEIS meses sem comprar cosméticos, maquiagem e acessórios para cabelo! Gastei muiiiito dinheiro com isso nos últimos tempos e nem aprendi a usar direito boa parte das coisas - em especial, os acessórios para penteados. Enfim, pensar MUITO antes de gastar dinheiro com esse tipo de artigo nos próximos meses. Mais vale agora é aprender a aproveitar tudo o que eu já tenho.

---

Beijos, acho que ainda volto antes do Natal ;).


domingo, 20 de dezembro de 2009

Engolindo sapos e passando mal do estômago

Olá, amigas, como vão? Eu vou indo...

Bem, deixa eu contar para vocês como foi meus últimos dias. Quinta-feira eu saí com um amigo, fomos a um barzinho. Lá eu comi/bebi:
- uma batida de côco com champagne.
- uma porção de batata frita com cheddar e catupiry - a qual eu dividi com o meu amigo.
- uma batida de morango com vinho.

Depois fomos a um Habib's comer sobremesa, porque nem a comida nem o atendimento do barzinho estavam grande coisa. Resolvemos não arriscar comer a sobremesa lá. No Habib's, eu pedi:
- um Bib's Gâteau, ou seja, um petit gâteau - uma bola de sorvete de creme e um bolo de chocolate com calda - feito no Habib's.

O resultado disso tudo é que eu acordei na sexta-feira passando muito mal do estômago. Como não tenho mais comido muitas porcarias, acho que meu organismo se desacostumou. O resultado foi que eu passei a sexta e o sábado BEM mal do estômago, tomando chás, quase não comendo, etc, etc. O que me salvou foi um remédio "natural" dos DEUSES para o estômago: Gajitsu. Podem anotar. É horroroso, mas limpa qualquer estômago.

Além disso, talvez não tenha sido a mistura de "champagne" (convenhamos, espumante barato), vinho, cheddar e catupiry frios mais a bomba de açucar do Bib's Gâteau que me fez passar tão mal. Na sexta-feira, houve conselho de classe na escola. Umas professoras, digamos assim, HORROROSAS quiseram prejudicar, por puros DESPEITO e INVEJA, um menino que eu estou ajudando PEDAGOGICAMENTE. Sabe daquele tipo de pessoa que quase não faz nada, mas quer as glórias para si ou então aquele tipo de professor que prejudica um aluno por ter problemas pessoais com ele, sem levar em consideração o critério que conta, o PEDAGÓGICO? Pois é.

O que deve ter me feito mal foi que eu NÃO falei durante o conselho tudo o que deveria ter falado para essas duas e dado uma cortada na hora. Isso foi um sapão que eu engoli e que deve ter piorado o meu estômago - eu tenho gastrite nervosa.

Eu pensei em conversar AGORA com essas duas horrorosas. Mas eu comentei isso com o meu namorado e ele disse algo que me fez "aterrisar": "Esse tipo de gente é idiota. Elas nem devem mais se lembrar do que falaram". Realmente, né? Só vou esclarecer algo para uma delas, por e-mail, educada e distantemente.

O que eu preciso agora é ver algo para sublimar a RAIVA com que eu fiquei desse povo porque isso está fazendo mal a mim mesma. Quanto ao menino que eu estou ajudando, tenho 90% de certeza de que vai dar tudo certo para ele. Só que eu terei de ficar em cima, e ficarei, por gosto, por ética e por solidariedade.

Com essas e aquelas, só me pesei hoje: 59,9 kg a 60 kg - me pesei váris vezes, hehehe. Tô contente com o resultado. E com a minha "evolução" de não suportar mais muita comida pesada de uma vez.


Beijos, amigas! Volto aqui antes do Natal :).

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Diz-se que "Pode passar o tempo que for, o que é nosso vem a nossas mãos"

Olá, amigas!

Hoje (segunda-feira) saiu o resultado do concurso para que eu estava dando mais importância. Eu fiquei em primeiro lugar, porém empatada com uma pessoa que tem título de pós-graduação. Logo, fui para segundo lugar e não poderei me efetivar, pois estava prevista no edital somente uma vaga para esse concurso.

Confesso que fiquei chateada, apesar de saber que fui vitoriosa também, né? Mas ainda acredito que muita água vai rolar debaixo da ponte até a homologação desse concurso e o começo das aulas no ano que vem. E eu estou fazendo o que posso e o que me cabe. Veremos.

Resolvi não voltar à academia neste mês: além de haver muitos dias em que a academia estará fechada, eu viajarei no começo de janeiro. Voltar agora para a academia seria desperdiçar dinheiro.

No entanto, eu estou sentindo a diferença no corpo de ficar sem malhar. Assim, decidi que nesse tempo "sedentária", eu irei, pelo menos, usar o meu kit da Cepall para fazer uma musculaçãozinha em casa. Se tudo der certo, o universo conspirar e eu me sentir inspirada, tentarei fazer esteira umas duas vezes por semana. Sintam a "força" de vontade para fazer esteira em casa...

Quanto à alimentação, as coisas têm melhorado. Dei uma parada nas guloseimas "pesadas" e comecei a tomar mais água. Estou me sentindo bem. Agora, além de não esquecer da água, preciso dar mais atenção à ingestão de frutas.

Como eu disse no post passado, eu estou com mil tarefas para resolver. E esses afazeres estão se concretizando, mesmo aos poucos. Última semana de aula é loucura total nas escolas para dar recuperação, fechar as notas e as cadernetas... Tem hora que eu simplesmente paro, respiro e diminuo o ritmo. Não vale a pena enlouquecer por NADA no cotidiano do trabalho. Mas enfatizo que me refiro ao cotidiano, não a situações excepcionais.

E, falando nisso, eu vou deixar registrado aqui um texto que li outro dia no blog Le Croissant, da Carol Nogueira. Eu achei esse texto tão legal, mas TÃO legal, que até imprimi e pus no mural do meu quarto, especialmente para os momentos em que eu me vir sufocada e estressada por coisas banais, que não valem a pena.

Vejam por si mesmas: (os grifos são do original)

Questão de foco

A vida é mais ou menos a mesma, o que muda é o jeito que a gente olha pra ela.

Que em começo de namoro a gente também faz supermercado e sobe dois andares carregando peso. Faz tratamento de dente, assina papel chato, paga conta atrasada, reconhece firma em cartório, resolve pendengas com empregada, manda e-mails aborrecidos. E muito mais, só que nem nota.

O que acontece é que de vez em quando essas chatices cotidianas acham de sair da coadjuvância eterna a que deveriam estar condenadas para virar protagonistas da nossa história.

Daí você brinca com seu filho pensando no email chato, desenha planejando a reunião insuportável que terá daí a dois dias, almoça e janta as cinco filas que terá de enfrentar para dar entrada em um papel, se espreguiça no sábado de manhã em plena sala de espera do médico que nunca chega com menos de duas horas de atraso.

Não custa nada o curso que você decidiu fazer virar mais uma obrigação, os quilos que você quer emagrecer virarem obsessão, a terapia virar um jeito estúpido de gastar fortunas. Só muda o foco.

Carol Nogueira

Muito bom, não é? Virou minha oração prosaica, do dia-a-dia. E eu procuro fazer logo as minhas coisas para não ficar "almoçando e jantando" as minhas obrigações.

Beijos a todas, boa semana.


quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Viver é um exercício de paciência

Quando eu penso que meus problems acabaram, surgem-me outros, inesperadamente. Affff! Ai, desculpem-me, estou num momento de revolta porque acabei de perceber que o meu pagamento veio errado. E amanhã, terei mais um aborrecimento para resolver. Nossa, como não gosto disso... Sei que isso é recorrente, que é igual para quase todo mundo, mas ainda me impressiono como tem gente idiota e imbecil no meu trabalho.

Porém, hoje, por outro lado, aconteceu-me uma coisa quase
divina: eu viabilizei meios para ajudar um aluno meu que tem MUITO potencial, mas um problema de aprendizagem SERIÍSSIMO. Ou seja: realmente fiz algo bom para algum aluno, que vai fazer a diferença de verdade - espero! Mas tenho os pés no chão (e a cabeça nas estrelas): tenho consciência de que problemas de aprendizagem, para serem resolvidos, requerem paciência (de todos), perseverança (de todos) e vontade (principalmente do outro).

Bom, desabafei, hehehehe. Agora, falemos sobre RA e exercícios.

Eu percebi que eu eu estava me alimentando muito mal na semana passada. Na hora da fome, só comia porcarias. Sábado eu me pesei, e o resultado foi 61,2 kg. Tá, são 700g de diferença e não tô me sentindo nem um pouco gorda, mas devo dar uma freada agora para as coisas não descambarem, né?

E foi o que eu fiz: comecei a prestar mais atenção ao que eu estava comendo. As coisas deram uma boa melhorada.
*o quesito água tem deixado a desejar. Vou prestar
mais atenção ainda a isso.

Quanto à academia, eu sei o quanto já falei aqui dos benefícios que ela traz e que me trouxe. Mas tô pensando seriamente em só voltar a treinar no ano que vem! Não fui no último mês pra estudar sem remorsos. E não sei se vale a pena pagar este mês para ir poucos dias... Vou pensar e resolver até segunda-feira.

Eu estava enganada no post passado: as minhas grandes obrigações do ano ainda não acabaram! Tenho um monte de coisas para fazer ainda:
- Terminar de organizar minhas cadernetas e de passar as notas. Beleza, vida de professora é assim mesmo. Mas hoje não estava mais agüentando ver na minha frente planilhas de notas! Dei até um tempo.
- Organizar e terminar de montar um trabalho dos alunos, o qual deve ser enviado pelos Correios para se consumar! E isso envolve colagem, encadernamento, etc. Eu sou daquele tipo de professora que
inventa moda e depois acaba se matando de trabalhar para dar tudo certo. Mas sei que, no fim, é para o bem dos alunos.
- Decidir onde vou passar as Festas. Isso vai depender da
correção do meu pagamento .
- Comprar o presente de Natal do meu namorado.
- Montar um currículo para mandar para uma escola específica (meu sonho profissional aqui na minha região!).
- Escrever e mandar cartões de Natal para as pessoas que meu coração sentir uma vontade legítima.

Ah, sim, e
pacabá: eu tenho outro concurso domingo. O terceiro em 20 dias. Mas não estou muito preocupada com esse. Vou ler a legislação, dar uma olhada na teoria. Não estou muito encanada, não. Nem vou passar o sábado estudando. Vou ficar com o namô, curtindo.

Quanto ao concurso do último domingo, eu serei realista: não fui bem o suficiente para passar. Não acertei montes de questões objetivas - o que precisaria para ser classificada. Minha redação ficou mais ou menos, na minha opinião. E eu não tenho muitos títulos para contar pontos... Deixa para uma próxima...

Vou ver se mentalizo algo que me transmita paciência. Mas, sinceramente, não consigo pensar em nenhuma imagem que simbolize paciência! Talvez alguma foto da natureza... Melhor, então, lembrar de um verso da música November Rain dos Guns 'N' Roses:

'Cause nothing lasts forever / Even cold november rain

Tradução: Nada dura para sempre. Nem mesmo a fria chuva de novembro.

Olha, até que bateu com o momento climático, hehehe. Eu gosto de tempo chuvoso nublado, um milhão de vezes isso a calor infernal, mas confesso que a chuva dos últimos dias tem me deixado entediada.

É isso, amigas! Qual o remédio, né, para as obrigações, senão fazê-las?

Mas, por ora, eu vou fazer algo para relaxar, hehehe.

Beijos!

PS: amanhã, atualizo a barrinha do peso.

***update***
Peso no sábado, dia 12/12: 60,4 kg!
E o problema do salário foi resolvido ^^.


quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Já vi este filme antes... Mas o final pode mudar!

Olá, amigas, tudo bem?

Então, deixa eu contar para vocês como têm sido esses últimos dias (em tópicos porque, como eu já disse, fica mais fácil :P):

- Eu estava deixando de estudar o que precisava. Ficava enrolando e ficava com sono em horas inoportunas, o estudo não rendia e etc. Isso, em parte, porque eu me acomodei com o resultado do concurso que eu prestei duas semanas atrás. Sim, eu fui bem e acredito que pegue uma ótima colocação \o/.
-E, como eu já disse aqui, quando eu não me sinto no controle = eu como demais. Mas, não, não me empanturrei. Mas eu realmente estava comendo mais comida do que ultimamente e consumi muitos doces.
- Hoje à noite - enfatizo: H-O-J-E, quinta-feira, à noite -, eu caí na real. Tipo: "o que eu tenho na cabeça em menosprezar um concurso bom desses para ficar (meio que) sofrendo em outro cargo, com mais dificuldades para ensinar e salário menor?".
-Aí, eu comecei a estudar DE VERDADE, meio que freneticamente. E, acredito, as coisas estão indo bem e caminhando.


Logicamente, domingo à noite, eu estarei SÓ o pó. Sábado, eu me matarei de estudar e será a "crônica de uma morte anunciada". Domingo, prestarei o concurso na parte da manhã e da tarde, o que significa, para mim, um dia emocionalmente cansativo por causa da noite mal-dormida (porque, evidentemente, eu perderei o sono na noite anterior e ficarei estudando até de madrugada). E, para dar o golpe de misericórdia, quando eu chegar do concurso, no domingo de tardezinha, eu darei atenção ao meu namorado - porque coitado, né?! - e, lá pelas 9 da noite, terei de elaborar duas provas de recuperação/exame, as quais devem estar impressas na segunda-feira ao meio-dia. Que "legal", né? Bom, mas a opção é eu me conformar.

Como eu previa, não fiz nada de academia, nenhum exercício físico.
Como estou me sentindo mais no controle, a alimentação melhorou.
Semana que vem, eu me considerarei de férias, porque as grandes obrigações do ano terão terminado! \o/ Aí, já posso me dedicar a fazer coisas mais prazerosas: montar a árvore de Natal, ver onde eu passarei as Festas, dar dicas, aqui no blog, de produtos de beleza que eu testei ultimamente... Enfim, fazer muiiiitas coisas fúteis (e necessárias à saúde emocional).

É isso, amigas.

Por favor, sei que fazem isso normalmente, mas TORÇAM MUITO por mim. Mentalizem que eu estarei indo bem na prova que eu farei no domingo às 14h - horário de Brasília (hahahahaha).

Um beijo, bom fim-de-semana.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Pensar mais positivo... até chegar ao ápice!

Olá, amigas! Como estão? Espero que bem.

EU MELHOREI DESDE O ÚLTIMO POST. Eu só desejo não estar passando por um gangorra emocional! Porque eu fiquei mal, depois melhor, depois pior, e agora estou bem. Às vezes, me dá um sono, do nada! Sei que isso é sintoma de depressão, mas já estou vendo isso com o meu médico.

Obrigada a todas pelas mensagens! Tetê, adorei a ideia que você deixou nos comentários. Vou até transcrevê-la aqui, como inspiração:

Eu, quando começo a achar que "a vida é uma droga, que tudo dá errado, que eu só faço bobagem", eu pego uma folha de papel pautada, dobro ao meio no sentido ao comprido. Numa coluna eu escrevo as coisas ruins que estão acontecendo, que estão me chateando. Na outra coluna, eu escrevo as coisas boas, as bençãos recebidas. Acredite: sempre me surpreendo pois as coisas positivas ultrapassam as negativas!

Obrigada! Quando estiver bem mal, vou tentar, sim.

Tenho muitas coisas a fazer... Já sei, o remédio é: FAÇA. Estou fazendo. Mas não deixa de ser bastante aborrecido ter de passar MAIS alguns dias estudando como uma louca. Eu tenho um concurso domingo, mais importante ainda do que o outro, mas estou desanimada porque acho que não vou passar. Uma, porque tem muitos concorrentes. Duas, porque haverá uma prova de títulos e eu tenho poucos. Três, porque há bastante matéria e pouco tempo para rever tudo.

O certo é eu me decidir AGORA se presto ou não presto, em vez de ficar sofrendo e enrolando para começar a estudar. E eu vou prestar pura e simplesmente porque gosto de levar as coisas até o fim! Não sou de desistir. No fundo, nem acho minhas chances assim tão ínfimas. O problema é me jogar nos estudos agora. Mas qual é o problema nisso, de verdade, né? Apenas a preguiça. E eu queria um tempo para me divertir no final-de-semana, MAS é apenas UM final-de-semana em que eu passarei estudando e fazendo a prova. Posso me divertir em outros e nas férias.

As fofocas no meu trabalho (aparentemente) passaram. Um aborrecimento de um lado, algum estresse de outro, mas tudo voltou ao normal (e devo repetir: aparentemente). Nem sei mais por que eu ainda me espanto com a mesquinhez das pessoas ¬¬. E eu também não devo mais subestimar a FALTA DO QUE FAZER de alguns seres.

Ontem, depois de escrever aquele post, tomei um banho de sal grosso e retomei os preparativos das aulas desta semana, elaborei todas as provas que deveria... Tudo isso me reergueu, me tirou daquele marasmo. Agora, eu preciso perder o quase pânico de estudar e COMEÇAR - já comecei, na verdade - a estudar direito, com bastante disciplina, sem interrupções.

É isso, amigas.
Alimentação: normal, sem exageros.
Academia: nada.
Esta semana: algums decisões a tomar e tarefas a fazer, além dos estudos.
Semana que vem: quase férias = muita liberdade.

Beijos!