terça-feira, 25 de outubro de 2011

Tem horas em que não dá disposição nem para ficar cansada, né?

Olá, amigas, tudo bem? Por aqui, (algumas) coisas vão indo de vento em polpa. Outras, mais ou menos.

Bom, recomecei uma nova dieta, também pega na internet: Dieta Seca Gordura, do site da revista Dieta Já. Não é uma dieta complicada de fazer, tem certos alimentos que nós - eu, pelo menos - não costumamos comer no dia-a-dia, mas também nada difícil de achar. E eu também não achei muito cara. Estou na segunda semana; na primeira, emagreci 900g.

Emagrecer 900g numa semana, fazendo dieta, para mim é pouco. Mas eu tô tentando ver pela perspectiva de que eu "voltei" no tempo. Eu tava mais ou menos com 69kg em abril! Por enquanto, já estou vendo algumas vantagens, como roupas mais largas. Em um mês, no total, perdi 3,5 kg!

Ainda assim, sei que tenho um longo caminho pela frente. Hoje fui experimentar umas calças 42 e ficaram apertadas. E manequim 44 não é o sonho de ninguém, né? Quero chegar, no mínimo, aos 60 kg.

Esse ciclo da dieta termina na sexta, porque, no sábado, eu irei viajar. Semana que vem, não quero seguir nenhum plano alimentar rígido, não, quero apenas seguir a regra de comer várias porções ao dia - o que, para mim, tem sido ótimo. Aí, eu vou pensar no que vou fazer dali em diante.

---
As caminhadas neste mês foram um fiasco. Explico: tenho uma esteira mecânica em casa e sei que é mais eficaz andar 2 km no aparelho do que caminhar 6 km numa pista. Ocorre que fazer esteira me deixa extremamente suada e isso faz com que eu tenha que lavar meu cabelo toda vez, e isso me atrapalha! Please, não digam que eu sou patética. Ó céus, o que fazer?

Minha mãe está pensando em comprar um simulador de caminhada, acho que vai ser legal.

Além disso, eu tive que me dedicar a estudar umas coisas urgentes e resolvi dedicar meu tempo só a isso mesmo, deixei a caminhada para lá. Mas tô sentindo falta de um exercício físico.

Ah, e semana que vem, retomo a academia! Isto está decidido.
---
Amigas, semana passada, eu estava realmente sofrendo, angustiada. Problemas chatos com a minha cunhada - irmã do meu namorado - e indecisão no trabalho sobre se vou mudar de posto logo. Eu só ficava atrás desses dois assuntos, que nem uma obcecada.

Aí, no final de semana, tomei uma resolução: ter uma conversa séria com a minha cunhada oportunamente - daqui duas semanas - e relaxar quanto a mudar de posto, por enquanto, esperar; não ficar atrás de informações TODOS os dias. Não tem valido a pena. Tô achando que é melhor eu me dedicar a um novo concurso que vai sair, me concentrar nisso mesmo, gastar minhas energias em algo que dará mais futuro.

---
De mais a mais, como sempre, tô me organizando para cumprir as tarefas obrigatórias e às que me proponho!

---
É isso, queridas.

Um beijo!

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Resultado da Dieta

Então, como eu disse no último post, eu comecei - e terminei - a Dieta do Spa, de 600 kcal/dia e com a promessa de emagrecer 4 kg numa semana.

O meu resultado foi menos 1,800 kg! Eu, inicialmente, achei pouco - apesar de não esperar os benditos QUATRO quilos, né? No entanto, voltei ao peso que eu estava em junho. Assim, pensando por essa perspectiva, eu "recuperei" quatro meses. Então, está ok. Ah, devo dizer que fiz algumas substituições, por questões, digamos, logísticas.

Gostei da experiência de fazer dieta, por incrível que pareça. Realmente, eu me senti num spa, me desintoxicando, hehehe.

Pontos a se considerar sobre a Dieta do Spa
- seis refeições diárias. Os horários devem ser seguidos religiosamente para que não se passe fome;
- carboidrato no almoço e proteína no jantar. Eu acho difícil comer só carboidrato no almoço, sem nenhuma carninha. Principalmente quando se come arroz todos os dias. No entanto, comer proteína à noite e (quase) nenhum carboidrato dá para levar numa boa. Este ponto dá para incorporar à rotina;
- come-se bastante verdura, o que é ótimo para que o intestino funcione regularmente mesmo com a baixa ingestão de calorias;
- sobremesas. Claro que as pouco calóricas, como flans e gelatina, mas é bastante para quem tem necessidade de doce - como eu.

Posso dizer que, desde que encerrei a dieta, estou me esforçando para comer seis vezes ao dia, de três em três horas. Só que tem que ser como eu disse: religiosamente de três em três horas, senão começa a me dar fome. Ah, e comecei também a colocar mais frutas no meu cardápio, coisa que eu não fazia há muito tempo, e a tomar um café-da-manhã decente.
---
As caminhadas estão indo bem. Tô me esforçando para levar a coisa para frente (literalmente) :)

---
Eu já estou planejando a próxima dieta. Estou considerando, em primeiro lugar, uma que saiu agora na revista Dieta Já deste mês de outubro. A proposta é fazer por 15 dias, a 1.200 kcal/dia.

Sabem o que tem me deixado preocupada? Eu sempre li que, quando você começa a comer pouco, a ingerir poucas calorias, seu cérebro interpreta que você está passando fome, então o corpo começa a reter gordura, a "economizar", e fica mais difícil e lento para emagrecer. Será que é exatamente isso? Porque se for só isso, essa teoria tem alguns furos, né? Por exemplo, uma pessoa que estivesse numa guerra, com escassez de alimentos, continuaria gorda, e não é isso que acontece. O que vocês sabem com certeza sobre isso?

---
É isso, amigas.

Beijos e bom restinho de feriado para vocês.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Estou finalmente fazendo uma dieta!

Olá, meninas, tudo bem?

FINALMENTE, após muita procrastinação, estou seguindo um plano alimentar! Estou fazendo a Dieta do Spa, que conheci através do site M de Mulher. Bom, a promessa é de secar 4 - QUATRO!- quilos em uma semana, mas eu não acredito nisso. Pelo menos, não acho que vá funcionar para mim. Mesmo porque estou substituindo uma coisa ou outra.

Mas se eu emagrecer uns 2,5kg, 3 kg, ficarei contente, porque já sairei da terrível casa dos 70 kg. Comecei essa dieta estando com 72,8kg. Hum, acho que essa meta é um pouco ambiciosa demais...

O que me interessou nesta dieta foi o seguinte: resultados rápidos e opções de sobremesa. Não consigo viver sem comer doces, sobremesas, qualquer coisa. Para mim, isso é essencial. Neste plano, sempre tem um flan, um achocolatado, uma gelatina que seja. Então, para mim, é legal.

Também fiz a opção de comer tudo bem temperado. Estou no segundo dia e estou ficando com nojinho de comer um monte de salada. Sou meio chatinha para comer, jogo muita coisa fora.

---
A caminhada vai indo bem também. Nesta semana só não fiz quando realmente não deu. Não vou conseguir de novo cumprir a meta de 30 km/mês, mas em setembro vai dar para chegar aos 22km no mês... Em agosto só consegui cumprir a metade, 15,600km...

---
É isso, amigas. Um abraço!





sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Uma vontade débil

Olá, meninas, tudo bem?

Bom, quanto àquele problema do trabalho, do último post, a "solução" está sendo eu não conversar com aquelas pessoas - apenas o estritissimamente necessário. "Maturidade" é isso, né? Mas ainda não consegui, e nem sei se quero aprender a, ser hipócrita, fingir que nada aconteceu. AH! MAIS IMPORTANTE: bolei um esquema, uma resolução para cair fora de lá o mais breve possível. Isso também me deixa tranqüila.

Outro dia, vi, numa revista, a Carolina Dieckman falando que ela não é ingênua de considerar colegas de trabalho como se fossem amigos - mais ou menos isso. Infelizmente, estou começando a concordar... Tenho que ficar mais esperta.

---
Bom, vamos lá, às minhas confissões embaraçosas a respeito de dieta/alimentação.

Eu tinha decidido fazer uma dieta agora em setembro. Porém, quem me acompanha sabe o quanto as minhas decisões nessa área são débeis... Sempre deixo para depois, para DOIS dias depois (não cogito para amanhã), para um dia mais "redondo".

Confesso ser um pouquinho hipócrita e sabotadora quando a "fazer dieta": fico pensando em mil hipóteses para melhorar minha compulsão alimentar "de fora para dentro", resolvendo as questões internas que me fazem comer demais, solucionar o problema na raiz. Mas acontece que eu cheguei num ponto crítico demais, que demanda uma solução urgente. Assim, estou apelando para remédios, dietas, etc. Não dá mesmo para melhorar minha vida para depois começar a emagrecer ou parar de engordar. Então, vamos lá.

E, não sei se isso acontece com vocês, mas sempre que planejo começar uma dieta, tenho a seguinte atitude: "já que eu vou ficar um bom tempo sofrendo, vou comer tudo o que me der vontade, tudo o que for gostoso nos próximos dias antes da dieta, para me despedir."

Assim sendo, como eu estava planejando começar uma dieta, eu fiz algumas "despedidas", comendo o que eu não comeria normalmente, o que eu nem acho grande coisa. Olhem, eu me culpo bastante por isso, tenho quase vontade de me xingar, acho bem patético e principalmente fraqueza.

Aí, surgem outras questões para eu me sabotar: que dieta fazer? Mas isso dá certo? Compensa fazer um dia de desintoxicação? Escolher uma das mil dietas de revista? Pegar uma dieta antiga que eu tenha seguido e que tenha dado certo? Seguir a Dieta dos Pontos? A Dieta das Notas? Eu também não poderia fazer uma orações com afinco pedindo para emagrecer, em vez de me privar das coisas?

Por enquanto, eu tô planejando fazer o seguinte: no primeiro dia, fazer uma dieta da desintoxicação, que é de baixas calorias e com poucos nutrientes, e repetir o procedimento uma vez por semana. Acredito que evite fazer o corpo pensar que você está se privando de comer e, por isso, desacelerar a perda de gordura - além de, principalmente no início, desintoxicar. Já fiz isso e percebi que naquela Dieta de Dunkan tem algo parecido.

E, nos outros dias, fazer, a princípio, a Dieta Volumétrica, que saiu na revista "Dieta Já" recentemente. "Ah, mas você gosta de se privar, de ter horários e alimentos certos que comer?". Não, eu odeio. A vantagem de uma dieta dessas, para mim, é o planejamento, o cardápio estipulado, as quantidades. Como deixei claro acima, tô num momento crítico, sem poder escolher ou esperar muito.

Ah, outra questão que me faz querer adiar toda a dieta nessa próxima semana que se iniciará: poderei começar no domingo, não amanhã (sábado). Até aí, beleza. O problema é que estarei fora de quarta até o outro domingo, numa viagem a trabalho/lazer. Não tem como eu seguir um plano alimentar estando fora, não tem como mesmo. Compensa seguir alguma coisa, fazer dieta de domingo até quarta? Sou inclinada a dizer que não.

Já conversei também com meu psicólogo a respeito de tudo isso e disse que quero realmente me focar nesse assunto, porque é algo que realmente me incomoda e atravanca a minha vida.

---
No mês passado, eu não consegui cumprir a meta de caminhar 30 km/mês. Cheguei à metade disso. Nesse mês, as coisas vão indo razoáveis. Outro dia, em vez de andar na pista perto de casa, eu fiz caminhada na esteira que eu tenho em casa, a qual mandei arrumar há pouco tempo. Nossa, mas como me cansei! Fiquei acabada! Cansa muiiito mais, ainda mais a minha esteira sendo mecânica e não elétrica. Tenho que ver um modo de deixar essa atividade - de fazer esteira, não de fazer caminhada em si - menos maçante. Porque foi realmente MUITO chato e desanimador. Do tipo de coisa que você pensa que não compensa.

---
Eu até tinha mais coisas que contar/desabafar, mas o post já ficou grandinho, hehehe. Fica para o próximo.

Um bom final de semana a todas! Beijos!




quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Pessoas que puxam seu tapete no trabalho por NADA

Olá! Vim aqui fazer umas observações. Para variar, tive uma certa dor de cabeça no trabalho hoje. Em outras épocas, a minha reação teria causado um desastre, mas desta vez nem tanto.

Vejam bem: não me considero uma vítima no meu serviço, pelo menos não neste. Melhorei de vida quando fui para lá, etc e tal. Vejo pessoas lá em condições similares à minha, num serviço público estável, sem patrão, mas que só conseguiram chegar onde estão com menos esforço, numa época de Q.I. ("Quem Indica") e que ainda por cima reclamam horrores do trabalho, acham que têm o "direito" de não trabalhar decentemente, como se o mundo lhes devesse alguma coisa... Ora, pelamor! Vá ficar mandado currículos, fazer uma entrevista de emprego, participar de dinâmicas e, na melhor hipótese de conseguir o trabalho, viver com a possibilidade de ser mandado embora a qualquer momento. Enfim, CRESÇA E ACORDE PARA A VIDA antes de reclamar.

Bom, mas o que aconteceu hoje foi o seguinte: duas pessoas COM AS QUAIS EU SEMPRE FUI LEGAL, COLABORATIVA, SOLÍCITA, foram reclamar de mim para o chefe, dando a entender que eu estava atrapalhando o serviço delas e, por isso, elas estariam TÃO atrasadas e enroladas.

Uma delas, falando francamente, não tem capacidade para o serviço que desempenha - está lá por QI -, mal sabe mexer no computador. E, como sempre o serviço dela está mal feito, atrasado, caótico, o que ela faz? Ora, acusa os outros de estarem atrapalhando-lhe! Até aí, ok, né, e o Quico? Mas a questão é que eu sempre tive pena dessa mulher e sempre a ajudei: quando terminava as minhas tarefas, relacionadas às minhas funções, eu ia ajudá-la, pois ela não dá conta sozinha e fica estressada, reclamando, sofrendo. Bom, ontem eu deixei um PAPEL em cima da mesa dela, porque eu não sabia onde pôr aquele tipo de papel, porque ela sempre guardou, etc. E o que ela fez? Foi reclamar para o chefe que eu ficava colocando coisa em cima da mesa dela, por isso que o trabalho dela atrasava, etc... Repito: eu SEMPRE a ajudei MUITO. De todos os funcionários do meu nível, eu sou - era - a que mais a ajudava concretamente, de VERDADE. E ela tem a coragem de falar mal de mim para o chefe por causa de um PAPEL.

Aí, no mesmo momento da reclamação, estava um estagiário que - vejam só! - eu considerava meu amigo, mas que se queixou que eu lhe pedia coisas quando ele estava ocupado e isso o atrapalhava e por isso o serviço dele também estava atrasado, etc, etc, etc. Olha, eu até aceitei uma certa queixa específica dele, mas, de resto, o que eu peço para estagiário é coisa de ESTAGIÁRIO fazer. Uau, né, como eu sou esquisita! Deveria eu fazer o trabalho dele, né? E, claro, para completar o quadro da colega boazinha que - sem hipocrisia - subalternos não respeitam, eu SEMPRE vi um milhão de erros dele, mas NUNCA o humilhei publicamente por causa disso, até já o defendi. E ele foi lá reclamar de mim.

Bom, o pior é que o chefe veio falar comigo na frente dos outros. EU ME DEFENDO - sempre. Em geral, de uma forma dramática, aos trancos e barrancos. Me controlei para não provocar um terremoto - porque estou ficando vacinada contra esse tipo de atitude, que acaba me deixando mal.

Mas chamei o chefe, falei o que eu pensava, que eles ficavam me "acusando" porque eles não davam conta de fazer o serviço deles, que a funcionária lá era muito desorganizada, que eu sempre a ajudei, que estagiário lá naquele trabalho era extremamente folgado, etc. Falei: "Você acha que esse menino não deu conta nem de 10% do serviço dele de ontem por minha causa? Não deu conta de mexer sequer com UM processo?", "Se a Fulana tiver que mandar 20 ofícios numa semana para o mesmo lugar, ela fará 20 Avisos de Recebimento iguais, em vez de salvar UM no computador e imprimir o necessário depois... Como que ela não vai ficar enrolada?".

Deixei bem claro que eu sou muito colaborativa, que eu levo a sério meu trabalho e que eu esperava que ele enxergasse isso. Ele foi receptivo, falou que a mulher tinha limitações mesmo, que ele sabia, que os estagiários de hoje são assim mesmo, para eu não me importar, que ele só tinha falado comigo porque tinham reclamado para ele. (A pergunta que não quer calar: por que não veio conversar privativamente comigo, em vez de causar um clima estressante coletivo?)

Enfim, foi isso. Eu perdi meu dia hoje, de raiva. Na hora, fiquei tão nervosa que eu só não fui embora porque NÃO podia, não tinha como. Com a mulher, não conversei mais. Apenas jurei para mim mesma que não irei ajudá-la NUNCA mais, em nada. Ela foi fdp, mal-agradecida, não precisava tanto por tão pouco. Por causa de um papel, perdeu uma amiga.

Conversei com o estagiário, de "boa", falei que não precisava ter ido reclamar com o chefe, que bastava conversar comigo. Ele disse que não imaginava que o chefe iria falar comigo na frente de todo mundo e que ele não atribuía o seu atraso no serviço a mim. E, pacabá, acha que está no mesmo nível, de igual para igual com os outros funcionários... Respondi que não ia ficar explicando por que a Terra era redonda e não quadrada. (Vejam bem, não estou dizendo que ele seja um cidadão de segunda categoria, mas um estagiário, num ambiente de trabalho, tem que se tocar de que tem que respeitar os mais velhos, os funcionários de verdade. Moleque respondendo para adulto, num ambiente formal, é o cúmulo da falta de noção da vida.) E arrematei com o seguinte: eu achava que ele fosse meu amigo; ele tinha me apunhalado pelas costas; o mundo dá voltas e ele vai receber uma dessas de alguém também.

Depois conversamos mais ainda e tenho a certeza de que ele pensa que ainda confio nele, que ele é meu amigo, etc, etc.

Olhem, esse post não tem muita conclusão. Tem algumas reflexões: Muito disso tem a ver com INVEJA. Tem gente se só dá valor quando é pisado. Aqui se faz, aqui se paga. A que ponto eu cheguei, tendo de lidar com gente assim. Aquilo não é ambiente para mim. Vontade de ir ao banheiro, me ajoelhar e implorar para Deus para que eu consiga mudar logo de trabalho. E daqui para frente?. Não ajudar mais, nunca mais, a Fulana. Mudar de atitude e ser fdp, fofocando tudo o que eles fazem de errado?.

Não me tornarei uma fdp, não... Não demais. Mas também não dá para continuar sendo "a" legal com esse pessoal. Sei lá se vou cortar relações, do tipo de mal olhar na cara. E, se eu achar que for o caso, vi erro dos outros = contei pro chefe, em voz alta, falando para todo mundo, dando uma da que quer ajudar e não criticar. Para que ajudar quem não pensa duas vezes antes de te jogar no fogo?

Essa queixa me parece sensata a respeito do meu serviço: nunca vi um ambiente de trabalho em que as pessoas criticam umas às outras com tanta empáfia, sem nenhuma cerimônia, como se fossem os "masters" naquele tipo de função.

Quanto eu estou muito de saco cheio, eu penso: mais dia, menos dia. Daqui um ano, não estarei mais aqui, de jeito nenhum.

É isso. Vamos ver o que vira.





quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Um update rápido e um acontecimento marcante.

Olá, amigas! Deixem-me dar uma satisfação rápida de como andam meus dias.

O projeto da caminhada está abaixo do desejado e eu devo ter a autocrítica e a disciplinas necessárias para reverter isso. Até hoje, dia 25/08 (psicologicamente, né?, pois já passa da meia-noite para o dia 26), eu fiz menos da metade do planejado. Faltam pouco mais de 18 km para concluir a meta de 30 km/mês. Em outros termos, tenho cerca de 5 dias para andar tudo o que preciso. Vou tentar chegar aos 25 km completos, ao menos, e fico com um "débito" para o próximo mês.

A alimentação melhorou, pois, felizmente, dei um jeito de levar comida de casa para o trabalho. Aí, claro que a quantidade de comida diminuiu, né? Porém, sinto que tenho beliscado bastante em vários horários.

Um acontecimento marcante: domingo, eu fui ao shopping e, por causa de "tudo", agravado por uma TPM (que eu não tinha), eu me senti um LIXO. Desculpem a gravidade da palavra, mas não existe outra para descrever melhor. Eu me senti feia, gorda, mal-arrumada, um lixo mesmo... Sabem quando parece que você é um fracasso? Pois é, assim. Melhorei depois.

Para não variar, tenho um monte de coisas para fazer, mas tô conseguindo dar conta de 80%.

Apesar de tudo, sei que devo ter em mente que dias melhores sempre são possíveis.

Beijos a todas!

PS: Vou atualizar as visitas no fim de semana.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Momento para baixo demorando para passar

Olá, amigas, tudo bem?

Em primeiro lugar, fico feliz em dizer que correu tudo bem com a minha mãe :). Como eu havia dito, eu estava com medo, principalmente, do hospital, mas fiquei admirada com o lugar, com a higiene, com a educação dos funcionários.

Obrigada a quem desejou boa sorte.

---
Bom, queria contar aqui que, desde a semana passada, eu não tenho me sentido muito bem... Sei que já aludi a isso, mas, agora, o que está me preocupando é que está demorando para passar. É normal - acho -, de vez em quando, ter alguns momentos um pouco depressivos, tristes. Não sei, quando é muito de vez em quando, eu deixo a coisa fluir, não me autocensuro. Acho que agindo assim é mais fácil de passar. Mas isso quando dura três dias, no máximo.

Desta vez, faz quase duas semanas que eu tô numa morgação, num marasmo, sabem? Do tipo "não vou me arrumar, que se dane", "não vou hidratar o cabelo, tô cansada", "não vou estudar, é muita coisa, deixa para depois", 'não vou cuidar da pele porque já tenho muita coisa para fazer"... Tipo, pensando agora, também já estive pior quanto a esse tipo de atitude. BEM pior. Mas faz uns dias que eu tô naquela indisposição para estudar, para ler, para fazer unha, para muitas coisas.

Na verdade, eu fiz MIL coisas na semana passada, mas ainda menos do que planejei, num primeiro momento. Depois, me toquei que eu não sou duas, tenho que priorizar e algumas tarefas ficarão pendentes mesmo. Acho que comecei a ficar cansada, sabem, para fazer tudo...

Também houve momentos estressantes, infantis, babacas, etc, no trabalho, como eu já venho mencionando. Aparentemente, a situação está melhor, sem perspectivas de novos estresses.

Agora é tocar para frente.

Nesta semana, a alimentação não foi aquelas coisas. Ainda tenho quinta e sexta para me dedicar, mais o final de semana. Bebi pouca água. Mas fiz caminhada ontem. Se não estiver chovendo, vou amanhã. Ao todo, quero ir, pelo menos, mais dois dias até domingo.

---
Dica: amigas, tenho navegado bastante pelo site da Revista Máxima, no qual topei por acaso. Tem muitas matérias legais e úteis e, por enquanto, o conteúdo da revista impressa é liberado. Recomendo.

---
Um beijo, bom resto de semana.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Uma meta: 30 km/mês

Olá, amigas, tudo bem?

Bom, por aqui, as coisas estão bem, mas não estou me sentindo exatamente bem, entendem? Acho que é até "pecado" agir/pensar/me sentir assim...

Mas, bom, vamos às novidades: emagreci! 900 gramas, ou seja, quase 1 quilo. Claro que me animei, né? Hehehe. Peso atual: 72,6 kg.

Semana passada eu comecei a fazer caminhada. Ao total, andei 9.600m, em 3 dias. Minha meta - fixei - será de 30 km por mês. A ideia é de andar 3,0 ou 3,6 km por vez, 3 vezes por semana. Quando pensei no total, nos 30 km, me pareceram muito, depois pensei que, na média, é 1 km por dia, o que é "pouco"... Não sei, por enquanto, me parece razoável.

Por incrível que pareça, em mim, só de andar um pouco, eu sinto diferença nas roupas. E um pouquinho nas medidas.

Na semana passada, eu estava triste por ter engordado, por estar me sentindo inchada. Também galei que não sou do tipo de pessoa que tem retenção de líquidos. Mas acho que tenho de rever esse conceito, ver se é assim mesmo.

Também não sei se a quitosana começou a fazer efeito de vez... Estou comendo menos, por enquanto.

Dei uma exageradinha na alimentação no final de semana: comi Nutella, chocolate demais...

---
Estou meio preocupada, meio triste, sabem? Minha mãe vai fazer uma pequena cirurgia nesta semana e estou, é claro, apreensiva... Racionalmente, sei que, aparentemente, não é nada grave. Tenho receio - ou paranóia - é de infecção hospitalar, de como é a competência e o zelo dos médicos, da anestesia... Não tenho um motivo concreto para preocupações, não... Mas sabem como é...

---
Bom, é isso! Um beijo e até mais!

domingo, 24 de julho de 2011

Decepcionadíssima

Olá, amigas, tudo bem? Por aqui, tudo quase bem.

Nesta semana que se encerra, eu me esforcei para ir bem na alimentação e comer menos. Tomei a quitosana antes das refeições. Prestei atenção no que estava pondo no prato. Alguns dias comi pouco no jantar. Até senti pouca fome em outros.

Fui me pesar na sexta de manhã e qual foi o resultado: engordei 700 gramas... !!! =/// Fiquei muito decepcionada...

Olha, sinceramente, eu não consegui acreditar. Engordar quase um quilo em uma semana é DEMAIS. Eu aceitaria se tivesse me alimentando de forma irresponsável, mas não estou/estava... E, antes que alguém levante a hipótese, eu não tenho, nem nunca tive problemas de retenção de líquido...

Cheguei a considerar a possibilidade de ter hipotireoidismo... Ontem, estava num salão de beleza e li uma reportagem sobre, que veio bem a calhar... E, não, também não tenho os sintomas decorrentes do distúrbio.

Enfim, na sexta e ontem, no sábado, não digo que abusei de comer, mas fiquei BEM chateada e não me preocupei muito, não..

Bom, agora decidi fazer o seguinte: arrumar minha esteira (que está com o mostrador de tempo e calorias quebrado) e fazer meia hora três vezes por semana; pensar numa DIETA, dessas de revista, e fazer por, pelo menos, uma semana, para dar uma animada geral e sair deste peso exagerado em que estou.

Olha, 73 kg, para mim, não são brincadeira. Estou me sentindo - e estou mesmo - gordíssima, com as roupas apertadas, etc.

É isso por hoje, amigas.

Uma boa semana!

---
PS: outro dia, no restaurante onde almoço, antes de começar a comer, avaliei o que havia posto no prato. Carboidratos demais, demais. Vou cortar isso também.

PS2: Amy Winehouse, rest in peace. Que dó :(...

segunda-feira, 18 de julho de 2011

A conclusão

Olá, amigas, tudo bem? Por aqui, tudo... ok.

Lembram-se da briga que eu relatei no post passado? Pois, então, confesso que, à noite, não consegui dormir direito por causa daquilo. Dormi muito pouco, muito mal, tive pesadelos. No dia seguinte, pensei muito sobre isso e consegui chegar a uma CONCLUSÃO: eu não me arrependo do que eu falei; eu me arrependo é de ter me rebaixado a tanto. Entendem? Não acho que estava errada, mas também não me fez/faz bem brigar. Eu me sinto mal e isso não vale a pena, por ninguém.

Por ora, estou botando meu burro na sombra, esperando a poeira abaixar e ficando na minha, porque a pessoa com quem eu briguei é capaz de querer se vingar, me prejudicar... Então, vou dar um tempo e bolar uma eventual defesa. Que "legal" viver como se estivesse em guerra, né?

A questão toda se deu entre mim mais duas pessoas. Agora, esses dois estão se sentindo "os" amigos. Eu até já peguei os dois falando mal de mim enquanto eu estava no banheiro. E isso porque um deles fazia uma difamação horrorosa do outro. Mas deixa estar: o que não se vê agora, Deus vai mostrar. Isso que eu pensei hoje à tarde.

Tenho até vontade de dar uma conversada com a mulher com quem eu briguei para amenizar o clima, explicar minhas justificativas. Mas meu namorado acha que eu já disse tudo o que tinha que falar, e ele tem sua razão. Vou deixar para lá, por enquanto, por autopreservação - como disse -, se e quando achar que tenho que esclarecer algo, eu o farei.

---
Comecei a tomar a quitosana. Senti alguma diferença quanto a reduzir o apetite. A quitosana é mais para quem ingere muita gordura, o que não é meu caso. Sou mais do tipo que adora carboidratos e doces. Se hoje eu fosse procurar algum remédio natural para ajudar na dieta, não seria a quitosana. Mas agora vou até o final com a caixa que eu comprei para medir os resultados.

---
Eu acho que fiz as coisas de forma mais regrada na semana passada - ou, pelo menos, foi essa a impressão que eu tive. Mesmo assim, eu engordei 100g, segundo me pesei na sexta. Isso me desanimou... Na hora do almoço, eu até escolhi comer rodízio, mas sem grandes abusos...

Continuo mais consciente, não chutei o pau da barraca. Vamos ver o que eu tenho que mudar ainda, além do óbvio.

Tentei não beber líquidos durante as refeições, mas é um sacrifício grande para mim. Acho que não vale a pena. Para amenizar, estou escolhendo sempre Coca zero com limão e gelo. Mais sabor e menos calorias.

---
Minhas pernas estão GRITANDO por exercícios. Mas tenho preguiça de fazer #patético, eu sei. Vou dar um jeito nisso também.

---
É isso, amigas.

Um beijo e boa semana!

terça-feira, 12 de julho de 2011

A encrenqueira?


Hoje, tive uma discussão no meu trabalho, de novo. Não estou errada, mas poderia ter falado com mais jeito para a coisa não piorar. E também deveria ter sido mais clara em um ponto...

Bom, mas a questão é que me sinto melhor do que quando ainda não tinha falado nada sobre o assunto.

Lição: falar com mais jeito na próxima, sem deixar de falar.

Eu me sinto bastante mal depois de uma briga. Mas não tolero pessoas inconvenientes. Vocês não têm noção do quanto procuro ser educada com as pessoas! Mas não suporto gente folgada, que acha que têm muita moral para dar lição de moral nos outros. Francamente, sou do tipo com que as pessoas só brigam uma vez, porque ficam com medo de brigar uma segunda. Eu realmente falo o que o outro merece ouvir. Eu não mando ninguém mexer comigo. Bateu, levou, e uma bem dolorida.

E sabem o melhor disso tudo? Em geral, é quem briga comigo que acaba vindo se reaproximar, pedir desculpas, querer voltar a amizade, o relacionamento... Quem estava errado, então, né? Vou esperar dessa vez também, para ver se a estratégia dá certo, hehehe.

Enfim, mas o que é de cada um tá guardado. Aqui se faz, aqui se paga: uma das grandes verdades da vida.

A questão agora é não deixar isso me remoer. Porque eu também sou do tipo que pensa na resposta depois da briga, sabem? Hahahaha, só rindo.

@tiposdebiscat: "Biscat que só consegue pensar em insultos inteligentes depois que a briga acaba. E recomeça a discussão só pra poder usá-los."

Hahaha, sou eu? Quase.

---
Comprei a quitosana hoje e começo a tomar amanhã. Também marquei umas sessões de massagem redutora, que estavam pagas há tempos. Vamos que vamos!

---
Beijos!

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Quase me arrastando - ou "que a semana passe rápido!"

Olá, amigas, tudo bem? Por aqui, vamos indo.

Sabem, a semana mal começou e já estou cansada. Ninguém dormiu bem aqui em casa na última noite. Hoje eu senti como se estivesse me arrastando. Meu Deus, mais quatro dias até o final de semana... Estou ficando cansada, sabem? Eu acordo todos os dias com vontade de não ir trabalhar, simplesmente por causa do cansaço.

Quanto ao emagrecimento: está muito, muito ruim. Estou chegando quase aos 73 kg! É demais! É quase o quanto de mais gorda que já estive - 75 kg -, mas isso há 12, 13 anos... Bem, cheguei à conclusão de que começarei a tomar remédio para emagrecer. Porém, vou começar pela quitosana, um remédio "natural" que promete diminuir o apetite, mas não precisa de ir ao médico para pegar receita. Já comprarei amanhã (terça).

Sinceramente, já não sei mais o que fazer!

Eu queria ter começado academia nas férias, mas dei um milhão de desculpas para não ir: está frio; a partir do dia 10, eu vou; vou viajar tal dia, então vai "quebrar"o mês, a semana; depois do dia 10, não compensa pagar o mês inteiro para só ir 15 dias; eu não gosto de ficar suando; tô cansada do trabalho... Resumindo: não vou porque, no fundo, não quero.

Eu me sinto bem quando estou me exercitando, mas até pôr a roupa e começar efetivamente, é um parto. Já cheguei ao cúmulo do fiasco de chegar do trabalho, pôr roupa de ginástica, mas PEGAR NO SONO antes de sair. Ou seja: eu dormi com roupa de academia. E acordei para ficar na internet...

Então, por ora, farei o seguinte: tomarei a quitosana - como havia dito - e rezarei duas vezes por dia para me ajudar a emagrecer. Quem não acreditar nisso, provavelmente vai pensar que eu sou fanática, hehehe. Mas não. Já fiz esse tipo de coisa para outros propósitos na minha vida e deu muito certo. E PENSAR - para "variar" - em alguma proposta viável para eu fazer um pouco de exercícios, de caminhada, esteira, algo assim.

Sabem, outro dia eu cheguei à seguinte conclusão: eu aprendi a gostar de cuidar da pele, dos cabelos, das unhas. Mas a cuidar do corpo, não.

Vou cortar os cabelos no sábado e fazer uma sessão de podologia para dar uma animada...

É isso! Um beijo e boa semana!

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Still alive...

...and kicking* ;).

Eu havia prometido um post, ao menos, por semana, né? Na passada, porém, não houve, porque foi uma semana quebrada... E outros problemas pessoais também, infelizmente, que agora estão começando a se resolver.

Mas ste também não é um post de "verdade", mas só para quebrar o jejum e dizer que eu voltarei em breve, nos próximos dias.

Beijos e boa semana!

*referência a uma música do Simply Minds, "Alive and Kicking".

domingo, 12 de junho de 2011

Semana da organização

Olá, amigas, tudo bem? Por aqui, ok.

Engordei 100g nesta semana que passou. Não me matei de abusar (senão teria ganhado mais peso), mas também não fiz nada relevante. Fiquei alguns dias atrás de coisas para o provável emprego novo, foi a minha prioridade. Na sexta-feira, eu estava naquele esquema de chegar em casa, me esforçar para tomar banho e só! Sabem? Quando você não tem vontade nem de arrumar sua bolsa? Assim. E como os finais de semana têm passado rápido, né?

Enfim, nesta semana, decidi organizar umas coisas de casa e de estudos. Algo que eu tô planejando fazer há algum tempo.

Já fiz/organizei completamente:
- DVDs
- sapatos
- pagar o ingresso de um show para a mãe do meu amigo - que comprou com o cartão dela para todo mundo.

Já organizei parcialmente:
- material de estudo
- papéis "jogados" pelo escritório - como isso estressa, né?
-CDs

Ainda tenho que organizar tudo:
- fotos no mural do meu quarto
- livros
- E-l-a-b-o-r-a-ç-ã-o do presente do meu namorado para o aniversário de namoro, nos próximos dias. URGENTE
- Marcar umas sessões de massagem redutora que foram pagas há uns dias pelo ClickOn.

Também quero fazer, não necessariamente nesta semana:
- emoldurar umas réplicas de pinturas que tenho faz teeeempo, para enfeitar o meu quarto.
- reservar um hotel para uma viagem rápida na próxima semana. Espero que tenha vaga.
- Organizar os arquivos do computador. #ShootMe, hehehe. Mas isso eu vou demorar mais uns dias porque tenho que esperar chegar, até a próxima semana, um HD externo.

Além disso, tenho que refletir e planejar sobre o meu comportamento alimentar. Não é nada, não é nada engordar 100g, mas senti uma calça mais apertada e desconfortável...

É isso por hora, amigas.

Beijos e boa semana!

PS: Que saco esse blogger, hein? Mil problemas para todo mundo, né? Não consigo publicar certas partes da postagem em colorido ¬¬.




domingo, 5 de junho de 2011

De grão em grão...

Oi, meninas, tudo bem? Por aqui, tudo bem, tudo indo...

- Aquele problema do outro post foi deixado para trás. Não 100% resolvido, mas estou naquelas de pensar que logo vou sair desse trabalho.

- Emagreci, né, 400 gramas, mas vou contabilizar como meio quilo, hehehe. Peso atual: 71 kg. Taxa de gordura: 41,7%.

- Aconteceu uma coisa bem legal nesta semana: uma calça legging minha, tamanho M, estava apertada e desconfortável na última vez que eu usei. Coloquei-a na sexta e estava melhor, mais larga :).Justificar
- Tô comendo menos, com certeza. Tipo, realmente eu não estou me empanturrando. Mas sei que ando beliscando bastante.

- Nesta semana, irei atrás de resolver umas coisas para ver outro emprego. TORÇAM POR MIM, por favor.

- Não fiz caminhada na última semana. Primeiro porque estava atrás do detalhe do (se Deus quiser!) novo emprego. Segundo por causa do frio.

- Problemas chatos de novo com meu namorado... É, espero que tudo resulte no melhor possível, sem dor demais.

Acho que seja isso por ora.

Beijos!

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Efeito rebote

Vejam como são as coisas: hoje de manhã eu pensei que deveria esquecer e relevar - perdoar, para resumir - umas ofensas que um cara do meu trabalho me fez. Vou chamá-lo aqui de "02" (como no filme Tropa de Elite, hehe).

Não acho legal explicar em detalhes, mas, digamos, que ele está tendo uma atitude patética por praticamente nada. Está me exigindo uma coisa absurda, por mesquinhez. Tivemos - eu contra ele e o chefe - uma discussão feia e bem desagradável cerca de um mês atrás. Ficou um clima chatíssimo por uns dias, mas as coisas voltaram ao normal, sem aquela atmosfera ruim.

Eu, desde a segunda semana nesse trabalho, me decepcionei com o chefe porque ele foi extremamente grosso comigo quando lhe fiz uma pergunta, porque estava interessada em saber os detalhes de um certo procedimento burocrático. Eu escutei mais grosserias dele, muita falta de educação e de respeito mesmo, nessa briga de um mês atrás. Mas não fiquei tão magoada com ele como fiquei com o 02. Acho que porque eu ADMIRAVA de verdade o 02, achava que ele era muito mais líder do que o chefe.

Desde o confronto, eu não conseguia voltar ao normal com o 02, fiquei meio fria, meio sem esperar nada. Para vocês verem o que é decepção... Mas aí, como estava me sentindo muito bem desde domingo - como comentei no último post -, eu cheguei a pensar que deveria deixar o assunto para lá, desculpar, que era passado, etc.

Não é que hoje o 02 trouxe à tona a mesma história??? E meio que tocou no assunto a partir de outro não relacionado, sabem? Eu, há uns bons tempos, não tenho levado desaforo para casa mesmo. Não levei nem do chefe. O 02 quis me colocar contra a parede e eu dei umas cortadas nele... E, sendo bem sincera, até eu me admiro da minha astúcia nessas horas, porque eu dou respostas certeiras MESMO. E, olha, francamente, ele merecia mais. Na hora que a coisa começou a piorar, ele até falou "Vamos encerrar o assunto."

MAS É CLARO QUE ISSO ABALOU MEU DIA, NÉ? Que fiquei pensando nisso por horas, que só fui melhorar depois de muito esforço, de me distrair na net, de conversar com meu terapeuta, com a minha mãe, com os meus amigos.

Minha mãe concorda que eu não estou errada, mas diz para eu ser mais humilde para conseguir as coisas de que preciso. Eu concordo, mas perco a paciência na hora. Meu psicólogo diz que já passou da hora de eu parar de dar tanta pelota para gente assim e para eu ir enrolando o assunto, já que provavelmente eu vou sair logo desse trabalho. Ele até usou uma metáfora muito boa: "O caminho é esse. Quando você quer sair de uma sala, você sai pela porta, porque é o mais sensato a fazer. Não adianta você querer tentar sair pela janela, pela veneziana. E para essa situação, o melhor a fazer é não deixar te afetar. Não adianta você querer fazer outra coisa."

E para conseguir isso? Em primeiro lugar, sei que não devo ficar remoendo a situação. Mas, sério, já até pensei numa defesa para um eventual contra-ataque - quando, talvez, o mais produtivo seja eu "fazer" a superior, falar que não quero discussão. Não gosto de brigar, mas, ao que parece, ainda não aprendi a ser diplomática quando levo patada - mesmo sabendo que discutir não me levou muito longe...

Ah, e para coroar, acho que falei umas coisas chatas para uma pessoa MUITO do bem lá do meu trabalho, antes de ir embora. Foi realmente sem querer, mas acho que eu não me deixei interpretar direito. Eu vou esclarecer as coisas com ela certinho amanhã.

Talvez esse texto esteja um enigma, né? Hehehe.

Bom, a alimentação foi bem tranqüila hoje. Sem grandes excessos. Eu me orgulho do quanto eu parei de comer tanto na hora do almoço. O próximo passo, me parece, vai ser um jeito de saciar a minha fome quando eu estiver fora, antes da aula. Fazer uns lanchinhos light e práticos. Devem existir, né?

Mas é isso, amigas. FELIZMENTE, a semana está passando rápido. "Graças a Deus", como diria um ex-professor meu, hehehe.

Beijos!

terça-feira, 31 de maio de 2011

Rapidinha de meio de semana

Olá, queridas, tudo bem? Deixa eu contar rapidamente como as coisas estão indo.

- Percebi - tipo assumi - que os lanches da tarde no escritório estavam comprometendo a dieta. Primeiro porque às 3 horas a tarde (horário habitual do break) eu nem estou com fome, pois almoço a 1. Segundo que comia mais do que deveria, meio que compulsivamente, repetindo coisas que eu nem gosto muito, etc. Ok, HOJE consegui me controlar. Vamos ver daqui para frente.

- Também me toquei que, caso volte direto para casa depois do trabalho, eu chego meio que desesperada para comer e ataco o que tiver pela frente, mesmo que não seja saudável ou gostoso. E agora, #comofas?

- Conversei com meu namorado. Tudo certo por enquanto :).

- Discuti ontem com a minha mãe, falei umas coisas pesadas para ela. Ela me disse que ficou magoada e eu pedi desculpas - perdão para ser mais específica. Ok, ok...

- Olha, eu cheguei, no domingo, a uma técnica de como me sentir bem e que para mim foi purificadora! E tô mais tranqüila até agora! Qualquer hora, eu conto aqui.

Beijos, bom resto de semana - e que chegue logo a sexta-feira, amém!

PS: frio por aqui.

sábado, 28 de maio de 2011

Buscando meu lugar À SOMBRA

Olá, amigas! Como estão? Como sempre, vou me desculpar por ficar tanto tempo ausente. Decidi que daqui para frente vou ser mais dedicada a este blog. Me faz bem e faz com que eu seja mais disciplinada. Como devem ter notado, o nome do blog mudou - mas não o endereço, por enquanto. Nem tinha mais cabimento chamar o blog de "Emagrecer pela Última Vez", afinal ninguém emagrece pela última vez há anos! Na verdade, o meu caso é um exemplo clássico de "efeito sanfona": engorda, emagrece, engorda... Então, para dar um up no meu próprio ânimo, resolvi mudar o nome para ser mais sincera comigo mesma e com quem lê. E também pretendo falar mais sobre a minha vida, sobre os meus gostos, sem perder o foco na questão de emagrecer.

De mais a mais, deixa eu contar as novidades em tópicos (para facilitar):

- fiz as pazes com a questão do almoço: estou comprando marmitex quatro dias por semana e indo a um restaurante - para abusar mais um pouco - apenas um dia. Isso fez com que os meus gastos com alimentação caíssem pela metade. E eu estou comendo menos também \o/.

- estipulei, durante a semana também, uma porção de doce por dia. Não consigo largar de vez, nem fazer menos do que isso...

- Cheguei ao meu peso máximo em uns 12 anos: 72 kg. "Legal", né? Agora estou com 71,6 kg. Nunca imaginei que um dia ficaria contente se chegasse aos 66 kg... O chato é que algumas roupas estão muito apertadas, tive que comprar coisas novas para essa fase mais "cheinha". E, claro, me sinto mais roliça, principalmente nas minhas pernas... =/

- Tive uma briga péssima com um pessoal do meu trabalho, por uma questão tão mesquinha que chega a ser inacreditável. Se eu relatasse as coisas que eu ouvi, vocês me falariam que eu deveria ter xingado feio todo mundo... Assim, estou batalhando por uma transferência de lugar - trabalho na justiça -, mas está bem difícil, é uma loteria... Mas tenho outros planos - incertos ainda - em perspectiva. No trabalho, o ambiente melhorou, (aparentemente) voltou ao normal, mas nesse lugar que eu estou, pretendo não ficar nem até o final do ano. Cidade pequena é cidade pequena, não tem jeito.

- Sabem, sinto que eu não tenho muita sorte para questões profissionais. Para não ser mal-agradecida, digamos que eu tenha sorte por um lado, e má sorte por outro. Más escolhas, acasos que ora me favorecem, ora não... Me sinto numa montanha-russa. Ontem, vendo Vale Tudo, no Viva, vi o Marcelo Novaes e pensei: "é, ele demorou, pelo menos, mais uns 6 anos para chegar no auge dele [como o Raí, de Quatro por Quatro]. Talvez eu esteja muito apressada mesmo e tenha de ter mais paciência." Sim, eu tiro lições de vida vendo novelas, hahaha.

- Meu namorado anda meio chato comigo, meio mal-humorado. Isso me deixa insegura. Estou tentando ser compreensiva e paciente também. Ele diz que é porque a vida dele está bagunçada, ele está se sentindo pressionado, no trabalho e na faculdade. Mas a vida dele sempre foi meio bagunçada e ele sempre foi legal comigo... Sei lá, acho que tenho que agir mais calculadamente.

- O milagre da vida: comecei a fazer caminhada numa pistinha perto de casa, à noite, depois do trabalho. Isso é motivo para chover quarenta dias e quarenta noites, hahaha. Fui poucas vezes ainda e ando 3 km por vez, mas estou satisfeita com o começo.

É isso, amigas, até a próxima - dentro de uma semana no máximo.

Bom findi e ótima semana.

Beijos!

domingo, 10 de abril de 2011

"Método" da listinha


Olá, queridas, tudo bem? Por aqui, sim.

O planejamento do último post deu certo. Não sou A apegada a metas, mas ADORO seguir listinhas e foi isso que fiz: tenho uma cadernetinha que carrego na bolsa, para cima e para baixo, e fui escrevendo tudo o que gostaria de fazer durante a semana e riscando o que havia cumprido ^^. E fui listando metas não só relacionadas à dieta, mas também a cosmésticos, tarefas em geral, etc. E, como eu havia previsto, com uma tolerância de 20%. Deu muito certo!

No final daquela semana, eu fui viajar para prestar um concurso; então, de duas semanas para cá, resolvi tirar para descansar, porque fiquei ESGOTADA. Deixei de lado QUALQUER compromisso além do trabalho.

Mais tarde, vou fazer minha listinha da semana na minha caderneta ^^ (acho que é só pelo prazer de ficar "ticando", hahaha). Por enquanto, pretendo diminuir a quantidade de arroz nas refeições. E esteira, por 20 minutos, 3 vezes na semana (aleluia! Preparem os guarda-chuvas!!!)

Peso ontem: 69,8 kg. Acreditem: diminuiu em relação à última vez que eu tive coragem de me pesar. Taxa de gordura: 39,8%.

É isso, queridas. Boa semana!

domingo, 20 de março de 2011

Sinceridade


Sei que vivo reclamando e me lamentando por aqui. E por isso já levei alguns puxões de orelha, mais pacientes ou não, mas merecidos. Sei também que dou bastante murro em ponta de faca, que não tenho força de vontade. Eu mesma me encho o saco e enjôo de mim mesma. Imagine quem lê isso aqui! Sim, tenho vergonha de vir desabafar meus fracassos, de dizer que não segui as dicas de vcs, de nem ter o que dizer quando me mandam uma palavra boa. Tudo isso para falar que eu tenho consciência dos meus defeitos, mas sinceramente estou tendo muita dificuldade para contorná-los.

Alimentação: tenho a impressão de que não esta tão ruim assim, mas está!!! Senão, eu não estaria engordando cada vez mais e mais. Desde, mais ou menos, outubro, engordei uns 5 quilos. É demais! Já cheguei aos 70 quilos. Meu Deus, como está sendo dificil emagrecer! Confio em mim? Sim, mas pouco, para achar que as coisas vão ser fáceis. Vou parar para pensar de verdade - ja disse isso antes - sobre as mudanças que posso realizar. Não quero abrir mão do que realmente gosto - como capuccino, sobremesas, pratos mais gourmet de vez em quando.

O grande problema ATUAL é que eu estou comendo fora todos os dias e não consigo resistir à variedade! Sempre deixo a restrição para depois. As opções de restaurante perto do meu trabalho são escassas: próximos mesmo há 3 restaurantes - não estou contando as lanchonetes. Desses 3 restaurantes, dois são churrascarias e um self-service muito do mais ou menos. Não faço nenhuma questão de comer carne de churrasco todos os dias, me enjoa.

As alternativas, além desses, são estabelecimentos mais distantes, para os quais eu teria de pegar o carro para almoçar. Isso, sinceramente, meio que me mata, porque inconveniente: muito sol e calor, procurar vaga para estacionar, perder a vaga perto do trabalho. Além disso, às vezes eu pego carona com um colega e, portanto, não tenho como usar carro na hora do almoço.

Para "coroar", comendo fora todos os dias tem me feito gastar muito, MUITO, um valor significativo ao longo do tempo.

Pensei em fazer o seguinte: comprar marmitex e comer na copa la do trabalho. Os problemas: eu teria de levar prato, garfo e faca de CASA, numa bolsa, porque não dá para contar que haverá lá. Ninguém merece, né?

Em segundo lugar, eu gosto de usar meu horário de almoço para otimizar meu tempo - leia-se para estudar. Não quero ficar estudando lá na copa do trabalho! Isso porque o povo lá da cozinha me veria estudando - e sendo futriqueiros que são - ficqriqm me indagando o porquê de eu estudar, etc, etc. Tenho certeza de que não é bom ficar falando para um monte de gente que estou estudando para concurso. Não ajuda em nada. E também tenho tempo de ficar estudando porque, das seções de lá, apenas o meu chefe permite que se faça uma hora de almoço. Em regra, seriam apenas 30 minutos. E isso pode dar alguma conversa, sabem? A não ser que eu me vire de alguma forma e vá estudar ao ar livre, numa pracinha ali por perto. Mereço ou não mereço???

Até tenho mais o que falar, o que pensar, mas vou parando por aqui por hoje. Por hora, vou fazer o seguinte: evitar líquidos durante as refeições, tomar mais água (meu negócio esta sendo apenas café). Acho que, para mim, o ideal é me impor metas semanais, com alguma tolerância, porque com muita pressão, eu não cumpro 100% mesmo.

Obrigada por sempre estarem por aqui, mesmo eu andando em círculos. Beijos, boa semana!

segunda-feira, 7 de março de 2011

Pensando março

Olá, amigas! Quanto tempo! Eu demoro para voltar aqui, embora sempre tenha vontade de escrever e fique ligada nos outros blogs. Enfim...

Nesse quase um mês sem escrever, fiz algumas experiências em relação ao meu trabalho, onde eu moro, etc. E acabei voltando à situação inicial. Mas acreditem: estou feliz e valorizando mais o que eu já tenho normalmente. Resumindo: as coisas vão indo de vento em popa.

Meu peso aumentou a níveis não vistos há mais de 10 anos: 69,8 kg. Ou seja, apenas 200 gramas para entrar na casa dos 70. Eu quero chegar aos 66 kg até o final de março. Será que é possível? E, mais difícil ainda, será que é possível sem me esbaldar em comida, mas também sem sofrer?

No último mês, estudei demais para um concurso, que acabou por resultar numa decepção, pois não fui bem. Mas, pelo menos, estou com o gás de estudar, no ritmo, sabem? Isso sempre ajuda.

Ah, esse meu novo trabalho também foi positivo pelo seguinte: como é uma função um pouco
burocrática, estou me tornando uma pessoa mais organizada. Eu realmente precisava disso na minha vida, pois sempre fui bastante tranquilona, acomodada, deixava tudo para depois...

É isso por hoje, amigas. Vou visitá-las.

Beijos, bom feriado!

***Update: Acabei de ver um questionário num blog e achei legal fazê-lo aqui também :)

1 - Humor:
Estou contente e um pouco já ansiosa por o feriadão estar acabando :(.


2 - Qual a sua maior preocupação com o seu cabelo?
Ele ficar bonito e arrumado/decente sem me dar muito trabalho, sem eu ter que usar o secador o tempo todo ¬¬.

3 - Batom laranja?
Uso às vezes. Prefiro os corais mesmo.

4 - Qual é a peça de roupa mais esquisita que vc tem?
Uma blusa social que tem uns detalhes meio, digamos, experimentais.

5 - Quando as coisas ficam bagunçadas na sua vida, como vc mantém a sanidade?
Não mantenho /aff... Eu rezo, como bastante e vou indo até as coisas se ajeitarem.

6 - Como vc cuida das suas sobrancelhas?
Vou a cada quinze dias numa designer da minha mais absoluta confiança e ela tira os excessos com pinça.

7 - Salgado ou doce?
Doce (L).

8 - Três coisas que levaria para uma ilha deserta: My boyfriend, um computador com internet que não acabasse a bateria (hehehe), comida.

9 - Música favorita dos Anos 90?
Vou ficar com Não Vou Lutar, do acústico dos Titãs, mas tem vááárias.

10 - Objetivos da semana:
- organizar meus estudos para o próximo concurso
- fazer alguns contatos profissionais

Obs: fiz uma tradução livre das questões. Se alguém quiser fazer, esteja à vontade. Só me avise para eu ler também ;).

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Sem tempo nem para respirar

Olá, amigas, tudo bem?

O título do post resume bem a situação na qual me encontro. Ou, então, poderia ser: "Tranquilidade é artigo de luxo para mim". O PIOR é que mudei de horário no trabalho e isso bagunçou meu relógio biológico. Estou entrando e saindo mais cedo, PORÉM chego em casa a-c-a-b-a-d-a.

Aí, MIL possibilidades passam pela minha cabeça: mudar de casa - para ficar mais perto do trabalho; mudar de setor, para ficar mais perto de casa. Enfim, entre outras questões sentimentais.

Força de vontade para administrar outras coisas, inclusive dieta? Tô já admitindo que a minha força de vontade está perto de ZERO. Tentei anotar o que eu comia, nao consegui seguir...

Umas duas semanas atrás, vi que estava GORDÍSSIMA, aí que desanimei mesmo.

Basicamente: não sei o que fazer, porque não sei aonde quero ir.

É isso. Um abraço grande a todas!

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Novos capítulos na novela da minha vida?

Olá, amigas, como vão?

Eu vou bem! Não digo 100%, porque isso talvez seja impossível.

Ainda estou me adaptando ao meu novo trabalho. Estou gostando porque - sério! - trabalho muiiito menos do que quando professora, faço coisas interessantes e ganho mais. O pessoal, em geral, é bacana. O porém é que o chefe é realmente muito chato - para ser franca, ele é um cretino. Manjam aquela pessoa que se acha infalível, que gostaria de ter funcionários perfeitos, quando ele sequer é um chefe razoável? Pois é. E uma das minhas colegas é daquele tipo bruxa invejosa. Afff... Mas tem ainda mais pessoas legais, boas, bacanas.

Bom, algo que eu decidi para a minha vida, resumindo, é que não vou mais me CONSUMIR por causa de trabalho. Não vale nem um pouco a pena. Por um lado, não valorizam. Se você precisar de alguma coisa, vão achar que estão fazendo o maior favor do universo em te ajudar. Isso numa perspectiva boa de fulano não te apunhalar pelas costas por mesquinhez.

Bah, tô parecendo muito pessimista, hehehe. Pode não dar a impressão, mas tô me sentindo em paz com o meu trabalho, tirando uma coisinha ou outra.

Estou conseguindo me habituar a almoçar fora todos os dias sem me empanturrar. Não tenho certeza em termos de calorias, mas quanto a nutrientes, minha dieta está melhor. Tô animada quanto a isso, sabem? Agora, falta amadurecer para construir o hábito de me exercitar regularmente.

É isso, então, por enquanto! Acreditem: estou cansadíssima para escrever.

Beijos a todas.