quarta-feira, 1 de junho de 2011

Efeito rebote

Vejam como são as coisas: hoje de manhã eu pensei que deveria esquecer e relevar - perdoar, para resumir - umas ofensas que um cara do meu trabalho me fez. Vou chamá-lo aqui de "02" (como no filme Tropa de Elite, hehe).

Não acho legal explicar em detalhes, mas, digamos, que ele está tendo uma atitude patética por praticamente nada. Está me exigindo uma coisa absurda, por mesquinhez. Tivemos - eu contra ele e o chefe - uma discussão feia e bem desagradável cerca de um mês atrás. Ficou um clima chatíssimo por uns dias, mas as coisas voltaram ao normal, sem aquela atmosfera ruim.

Eu, desde a segunda semana nesse trabalho, me decepcionei com o chefe porque ele foi extremamente grosso comigo quando lhe fiz uma pergunta, porque estava interessada em saber os detalhes de um certo procedimento burocrático. Eu escutei mais grosserias dele, muita falta de educação e de respeito mesmo, nessa briga de um mês atrás. Mas não fiquei tão magoada com ele como fiquei com o 02. Acho que porque eu ADMIRAVA de verdade o 02, achava que ele era muito mais líder do que o chefe.

Desde o confronto, eu não conseguia voltar ao normal com o 02, fiquei meio fria, meio sem esperar nada. Para vocês verem o que é decepção... Mas aí, como estava me sentindo muito bem desde domingo - como comentei no último post -, eu cheguei a pensar que deveria deixar o assunto para lá, desculpar, que era passado, etc.

Não é que hoje o 02 trouxe à tona a mesma história??? E meio que tocou no assunto a partir de outro não relacionado, sabem? Eu, há uns bons tempos, não tenho levado desaforo para casa mesmo. Não levei nem do chefe. O 02 quis me colocar contra a parede e eu dei umas cortadas nele... E, sendo bem sincera, até eu me admiro da minha astúcia nessas horas, porque eu dou respostas certeiras MESMO. E, olha, francamente, ele merecia mais. Na hora que a coisa começou a piorar, ele até falou "Vamos encerrar o assunto."

MAS É CLARO QUE ISSO ABALOU MEU DIA, NÉ? Que fiquei pensando nisso por horas, que só fui melhorar depois de muito esforço, de me distrair na net, de conversar com meu terapeuta, com a minha mãe, com os meus amigos.

Minha mãe concorda que eu não estou errada, mas diz para eu ser mais humilde para conseguir as coisas de que preciso. Eu concordo, mas perco a paciência na hora. Meu psicólogo diz que já passou da hora de eu parar de dar tanta pelota para gente assim e para eu ir enrolando o assunto, já que provavelmente eu vou sair logo desse trabalho. Ele até usou uma metáfora muito boa: "O caminho é esse. Quando você quer sair de uma sala, você sai pela porta, porque é o mais sensato a fazer. Não adianta você querer tentar sair pela janela, pela veneziana. E para essa situação, o melhor a fazer é não deixar te afetar. Não adianta você querer fazer outra coisa."

E para conseguir isso? Em primeiro lugar, sei que não devo ficar remoendo a situação. Mas, sério, já até pensei numa defesa para um eventual contra-ataque - quando, talvez, o mais produtivo seja eu "fazer" a superior, falar que não quero discussão. Não gosto de brigar, mas, ao que parece, ainda não aprendi a ser diplomática quando levo patada - mesmo sabendo que discutir não me levou muito longe...

Ah, e para coroar, acho que falei umas coisas chatas para uma pessoa MUITO do bem lá do meu trabalho, antes de ir embora. Foi realmente sem querer, mas acho que eu não me deixei interpretar direito. Eu vou esclarecer as coisas com ela certinho amanhã.

Talvez esse texto esteja um enigma, né? Hehehe.

Bom, a alimentação foi bem tranqüila hoje. Sem grandes excessos. Eu me orgulho do quanto eu parei de comer tanto na hora do almoço. O próximo passo, me parece, vai ser um jeito de saciar a minha fome quando eu estiver fora, antes da aula. Fazer uns lanchinhos light e práticos. Devem existir, né?

Mas é isso, amigas. FELIZMENTE, a semana está passando rápido. "Graças a Deus", como diria um ex-professor meu, hehehe.

Beijos!

5 comentários:

NADJINHA disse...

Olá vim conhecer vc e seu cantinho..adorei adoro pessoas sinceras.. e que ñ guardam rancores falam na carakkkkk..isso mesmo queridinha !!!bem aparece ,,,no meu cafofo ..tem arraiákkkk...se cuide e reza para esse 2 a esquerda..ele deve ser um invejoso kkkkkk..entrega para Deus ..que o dele vem a caminho kkkkk.. beijus fique com Deus kiida!!!

Suzana...Feliz !! disse...

Oiiii,

Chato isso, né !! Eu já sofri muito disso ... Aprendi a excluir tais pessoas e coisas da minha vida.

Parabéns pela alimentação, continue assim.

Beijos
Suzana

Karin disse...

oi querida... gostei do seu blog!!! Tmbém estou escrevendo para tentar emagrecer, dá uma olhada no meu cantinho: www.umpapodepeso.blogspot.com
Valeu!! Abraço e fique firme no seu propósito que vc vai conseguir!!!

Sassá disse...

Ai, que chato essa situação!! Sobriedade e calma para tomar as melhores decisões! Beijinhoss!

Dáfni disse...

Miss Blueberry, é óbvio que seu terapeuta tem razão, mas como colocar em prática, né? Eu vivo nesse dilema e digo que é difícil que eu não deixe que pessoas nada a ver influenciem meu humor com mais frequência do que eu gostaria... mas isso tudo tem uma palavra: arrogância. Não estou dizendo que vc é arrogante, mas eu certamente sou. E se as pessoas mesquinhas me deixam tão P da vida, há algo dentro de mim que não está resolvido. E é nisso que vale a pena dispender energia!

Beijos