segunda-feira, 26 de julho de 2010

Se fosse fácil, não seria difícil.

Oi, meninas, tudo bem? Espero que sim. Eu vou bem.

Hoje, as aulas recomeçaram. Confesso que estava me sentindo PÉSSIMA por ter de voltar a conviver com duas pessoas chatíssimas do trabalho. Os alunos encapetados eram o de menos. Mas até que o dia não foi tão ruim quanto eu pensava: alunos não deram trabalho (porque foram poucos), a Pessoa Chata 1 até que está sendo simpática e a Pessoa Chata 2 (um MENTIROSO de primeira) ficou à distância (felizmente). Então, até tipo hoje (hehehe), está ok.

---
Eu resolvi mudar alguns hábitos alimentares... Uma resolução dessas tem muitas chances de ser efêmera, não é mesmo? Olha, eu própria reconheço isso e estou tocando o barco para ver o que acontece.

Houve três vezes na minha vida em que eu emagreci bastante sem me preocupar com dieta:
1ª vez: quando estava tomando remédio ansiolítico e antidepressivo. Emagreci uns 10 kg.
2ª vez: tive um problema pessoal muiiiito sério e simplesmente perdi o apetite. Emagreci uns 7 kg.
3ª vez: quando eu comecei a me preocupar mais com o sabor dos alimentos, a não comer "qualquer" coisa, a mastigar devagar. Emagreci uns 5 kg sem nenhum trauma. E a ansiedade estava bem controlada também nessa época.

Hoje em dia, não estou disposta a prestar atenção ao meu paladar, nem a controlar tanto a ansiedade. Autossabotagem, desleixo? Não sei, mas estou sendo franca (pelo menos)...

Então, enquanto não resolvo o "eterno" dilema entre comer bem até estar apenas saciada X prestar muita atenção aos meus hábitos alimentares, fico com a segunda opção. É uma briga entre tranquilidade como causa X controle (um pouco) repressor, entendem?

Assim, estou tomando as seguintes medidas, todos os dias:

1- Tomando bastante água.
2 - Dois tipos de fruta - na forma pura, de suco, iogurte ou geleia.
3 - Folhas verdes em ao menos uma refeição.
4 - Refrigerante apenas na versão zero ou light.
5 - No máximo, duas porções de doce por dia.
6 - Mastigando devagar.
7 -Ingerindo comida mesmo à noite, em vez de lanches - isso me faz comer menos!
8 - Controlando o chocolate: hoje mesmo já fui comprar uma barra de 500g, seguindo aquela revolucionária técnica para não comer muito chocolate.
9 - Planejando minhas refeições do dia seguinte.

Bom, não acredito que eu vá aguentar por muito tempo assim. A outra estratégia realmente revolucionária - a de controlar a ansiedade - é mais eficaz, mas bem mais difícil de colocar em prática. Então, eu estou fazendo assim até quando der.

---
Ontem, comecei a usar para valer um creme para melhorar a aparência das estrias. Daqui três meses, venho contar os resultados.

---
Fico por aqui.

Boa semana a todos!

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Evoluções

Oi, amigos, tudo bem?

Já estou de volta da viagem, já gastei mais do que deveria, já retorno ao trabalho amanhã. Pois é.

Evolução na vida: bom, amigos, algumas mudanças estão para acontecer na minha vida, algumas mudanças SÉRIAS. Estou tentando entoar o mantra "não vou me abalar/ me preocupar agora", mas não está sendo muitíssimo eficiente. E eu tô com medo de ter feito e de ainda fazer escolhas estúpidas e/ou erradas. E, claro, estou preocupada, agoniada, meio insone, tentanto não repetir os mesmos erros.

No momento, não estou conversando com ninguém sobre essas coisas. Tenho vários amigos do peito, pessoas da família sábias e que se preocupam comigo, mas... Muitos deles são meio pirados e desequilibrados em algum aspecto e vão me dar opiniões nada a ver, acredito... Acho que devo pensar e decidir com a minha própria cabeça... Enfim, tô tocando o barco.

Evolução na alimentação: acreditem, não consumi muito chocolate nessa viagem \o/. Eu levei aqueles chocolates que comprei um dia antes (¬¬) e só fiquei naquilo. Apenas na volta eu comprei um chocolate dietético - eu gosto! - que é meio difícil de encontrar. Mas, sim, comi, pelo menos, um doce todos os dias. Ou, então, na hora que a vontade por doce apertava, eu comia uma fruta. Funcionava... Aliás, um lembrete a mim mesma: preciso incluir mais frutas na alimentação.

Mas essa de, numa viagem, não me matar de comer chocolate - e comida, em geral - é nova para mim. Não vou dizer que fui nota 10, mas também não foi menos do que 6,5 (hehehe, olha o décimo aí!)
---
Estou gostando de ler o livro Autoestima, do Lair de Ribeiro, do qual falei no post anterior. Comprei outro, da Louise Hay, sobre o mesmo tema. Quando terminar as leituras, falo sobre os dois.

---
Frase para encerrar o post: Pra que sofrer se nada é pra sempre?,
da música "Olhos Vermelhos", do Capital Inicial.

Beijos, amigos, final-de-semana chegando ^^!

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Viajando, lendo... E admirando o cabelo, hehehe.

Olá, amigos, tudo bem? Por aqui, tudo certo.

Viajei ontem e estou na casa de uns parentes. Está legal aqui, só que sempre fico com umas neuras - para variar... Mas esse é um padrão de comportamento que vou mudar. (Não vou dizer que vou
tentar mudar, vou chegar aos finalmentes mesmo.)

E por aqui, fora de casa, não estou me empanturrando, não - o que é um avanço, pois, quando não tenho nada para fazer, costumo comer ¬¬. E vou procurar diminuir mais ainda o volume de comida. Estou também me policiando para tomar mais água. Quando estou fora da minha rotina, não bebo muita água, ainda mais no frio.

Olha, sem pensar, eu até reclamaria do friozão que está fazendo... Porém, não dá para viver reclamando e passar o dia de mau humor por causa do tempo, deste clima frio! Ainda mais porque eu, na verdade, detesto é o calorão! Do inverno, não tenho nem devo reclamar. E também não vou me privar de nada por causa do frio! Não tem muito cabimento deixar de fazer o que tem vontade por pouca coisa.

---
Quanto àquele problema do chocolate, do último post, creio que o melhor, por enquanto, seja fazer aquela tática de comprar uma barra de 500g e comer um tabletinho por dia, por vergonha de comer mais, como falei nesse post aqui. A Dáfni também deu uma sugestão legal de estipular uma cota por um determinado tempo. Fico pensando de, para mim, quanto seria um tanto razoável para uns 3 dias...

---
Gente, eu AMEI o meu novo corte de cabelo. Ele estava comprido e agora está médio, meio quadradinho. Tô me sentindo a Lois Lane do Superman, sabem, hahaha?



Claro que na hora, logo em seguida ao corte, eu estranhei, né? Mas eu sempre estranho quando faço qualquer coisa no cabelo, acho que não fica legal... Mas adorei depois. Quando eu voltar para casa, eu tiro e posto uma foto.

Falando em cabelo, tô seriamente cogitando tingi-lo da cor natural e ficar um bom tempo sem mexer, nem fazer mechas. Será que eu consigo? :P

Ah, uma boa dica de esmalte: semana passada, eu estava usando o Prateado Metálico, da Colorama (uma foto aqui). Fez o maior sucesso e ficou muito bonito! Sabe quando você passa um esmalte e depois fica admirando suas próprias mãos? Hahaha, pois é.

---
Estou lendo um livro que comprei por acaso, anteontem: Autoestima - Aprendendo a Gostar Mais de Você, do, digamos, guru Lair Ribeiro. Obviamente, fala sobre amor próprio, incentiva a refletir e é interativo, com questões para serem respondidas no próprio livro. Até agora, estou gostando e levando a sério os exercícios - respondendo a todos e fazendo com seriedade (e não de qualquer jeito, na pressa).

---
Bom, amigos, fico por aqui, buscando ser feliz no dia-a-dia :).

Beijos e bom final-de-semana.

PS: amigos, mudei o tamanho da fonte, para maior. Se ficou muito grotesco no vídeo, por favor, me avisem.

terça-feira, 13 de julho de 2010

Fra(n)queza - e persistência

Olá, amigos!

Mesmo depois do meu post de ontem - que ainda continua na minha mente - devo relatar aqui, nem que seja para mim mesma, o que aconteceu hoje, terça-feira.

Fui ao shopping e comi bastante. Eu até estava com fome, mas depois a gula começou.

EU TÔ COM ESSA HISTÓRIA DE COMPULSÃO ALIMENTAR NA MINHA CABEÇA, então parece que sempre tenho uma desculpa para me incentivar a comer além do normal. Tenho que reconhecer isso também.

Deixa eu esboçar mais ou menos o que foi meu dia:
- acordei tarde: férias, etc. Não me arrependo, mas perco muito do dia.
- fiquei só no café preto e bolachinhas porque ia tomar banho e lavar a cabeça.
- lavei e tals, fui cortar o cabelo e depois fui ao shopping.
- lá, eu comi um lanche natural com um refrigerante zero. E depois fui dar umas voltas.

Até aqui, ok. A questão toda foi que, antes de vir embora, eu comprei, PARA FAZER ESTOQUE E NÃO FICAR SEM:
- 1 barra de chocolate. Já havia comprado e terminado outra entre ontem e hoje.
- 1 tablete de chocolate Talento, que é extremamente calórico.
- 2 mousses de chocolate do Habib's.

Aí, pacabá de vez, a um passo de ir embora, resolvi parar no Bob's e comprar 1 batata pequena e 1 milk shake pequeno, porque eu calculei que irei ficar com fome de alguma coisa salgada.

---
Olha, não tem nem o que dizer... /JulianaDeSorocaba

Eu sinceramente me preocupo com a possibilidade de ficar sem chocolate. Eu vou viajar e resolvi já comprar algumas barras PARA LEVAR na viagem e não ter o trabalho de sair procurando por lá. Estou mais para pragmática ou para anormal?

---
Como eu disse, eu, conscientemente ou não, acabo pensando que tenho compulsão alimentar mesmo e essa mentalidade se torna uma catapulta para eu descambar mesmo.

Mas não pensem que sou uma sem-noção e não me preocupo, que escrevo ontem um post mais otimista e hoje faço tudo errado. Não... Como eu falei no início deste, as considerações do post de ontem ainda estão no "ar", na minha mente.


Eu venho refletindo sobre alimentação/exercícios constantemente. O que falta é sentar e resolver o que eu quero/posso/devo fazer. Porém, reconheço, que sempre tem uma desculpa, como "depois das férias, eu faço isso", etc...

---
Quando cheguei em casa, já estava bastante chateada, frustrada, me sentindo gorda, reparando no quanto estou com espinhas por causa do excesso de peso... Mas essas sensações ruins passaram porque eu levantei de debaixo das cobertas - apesar do frio, hehehe - e fui "desencantar" certas pendências. E também eu sei que, independentemente dos caminhos que eu escolha seguir quanto a alimentação/exercícios/boa forma, eu TENHO QUE SER PACIENTE. Porque nenhum fruto se dá de um dia para o outro.

---
E vamos fazer coisas mais legais, né? Como ajeitar as coisas para a viagem ;).

---

É isso, amigos. Apesar da minha viagem, nós continuaremos nos comunicando.

Um abraço!

PS: num próximo post, eu falo do meu novo corte de cabelo ;).

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Parece que eu nunca vou conseguir emagrecer

Olá, amigos! Espero que estejam bem.

Bem, algumas coisas sérias e importantes aconteceram nos últimos dias, bem como outras coisas mesquinhas e banais.

Minha energia deu uma caída, mas agora melhorou - não voltou com tudo ainda.

---
Enfim, eu estive, como sempre, refletindo acerca de alimentação, peso, etc. Sabem, semana passada, eu estava bastante conformada, resignada... Tipo "não vou passar as férias sofrendo e regulando a alimentação"; "não vou esperar emagrecer para comprar roupas novas"; "vou me conformar com o corpo que eu tenho, porque eu sou assim há uns bons 10 anos e, portanto, não vou mudar".

Conversei com uma pessoa a esse respeito e ela falou o que eu precisava escutar, ou seja, que eu também não posso me conformar assim e jogar a toalha. É verdade, essa pessoa está certa.

Na verdade, eu tenho que chegar a um acordo comigo mesma: acertar numa atividade física que me traga prazer e saúde. Sim, porque a minha massa muscular é muito "baixa", tenho que aumentar isso. Sabem, trocar massa gorda - gordura - por massa magra - músculos. Não pretendo ficar musculosa, etc e tal, mas sim com o corpo mais definido, mais saudável.

Lembrei agora que eu tenho aquele livro famoso, o Body For Life. Há também um volume da franquia específico para mulheres. Eu tenho o normal. Há certos princípios lá que eu não seguiria nunca, como acordar e fazer algum exercício sem ingerir nenhum alimento antes. Explico: eu já fiz isso, mas quase "morri". Não rola mesmo. De todo modo, vou desenterrá-lo do fundo de alguma estante e ver o que pode ser aproveitado de lá. Nem passa pela minha casa me matricular novamente na academia, porque não quero sair de casa para ter que me exercitar, muitos menos depois de chegar em casa do trabalho.

Quanto a não mais esperar emagrecer para comprar roupas novas, creio que tenha sido uma das melhores percepções que eu já tive na vida quanto corpo/forma/autoestima. Fui assim também por uns bons dez anos, só comprava roupa quando estava bem magra ou quando precisava (para viajar, por exemplo).

Quem já foi gordo entende, né? Quando se está acima do peso, é chatíssimo sair para comprar roupas: quando algo serve, a gente se espanta com os tamanhos, com a forma do corpo no provador, com a celulite, etc. Escrevendo e lendo assim, parece uma besteira até, uma neura.

---
O que eu quero dizer com isso tudo é que EU QUERO RELAXAR NO SENTIDO DE SER FELIZ TODOS OS DIAS A RESPEITO DO MEU CORPO, E NÃO RELAXAR NO SENTIDO DE ENTREGAR OS PONTOS E DESLEIXAR DE VEZ. Não quero viver infeliz e não realizada, incompleta, por causa de números na balança, mas também não quero me descuidar.

---
Mas é isso, amigos. Essas reflexões ainda não chegaram a uma conclusão definitiva, é todo um processo ainda :). Mesmo o título deste post é ainda um primeiro pensamento, não uma sentença definitiva.

---
Outra percepção dos últimos dias: eu estava meio deprê, pensando que não fiz tudo o que planejava para o primeiro semestre de 2010, como se o ano estivesse perdido. Mas questionemos: o tempo é relativo, sentir-se cansado pelo ano todo é uma questão de ponto de vista e 2010 ainda não acabou. Então, ânimo, levantar a cabeça, andar para frente e não olhar pra trás, nem pensar no passado (recente).

---
Hoje, segunda-feira, tive um nítido momento de compulsão alimentar, quando aconteceu umas chateações. Foi que foi, que passei no McDonald's sem estar com vontade, nem com fome; apenas por hábito. Bom, percebi o momento. Tenho agora que pensar em estratégias.

---
Beijos, amigos, boa semana!

domingo, 4 de julho de 2010

Mais disposta! E as Copas da minha vida

Oi, amigos, tudo bem? Comigo, sim.

Nos últimos dias, eu tenho me sentido super bem disposta, sabem? :D Sem aquela preguiça, aquele desânimo, aquele comodismo \o/. Isso é muiiito bom, porque eu só me lembro de ter sido assim num passado distantíssimo!

Com tanta disposição, eu tenho feito, além dos meus compromissos profissionais, aquelas atividades que a gente só deixa para as férias, como arrumar gavetas, fazer receitas, etc.

---
Quanto à alimentação, eu continuo maneirando. Estou comendo pouca comida, e o chocolate está controlado. Não deixei de consumir essa guloseima, mas parou aquela história de UMA BARRA POR DIA!

Eu emagreci pouco na semana passada: apenas meio quilo. Ou seja: estou com 64,4 kg. Mas vamos levando...

Ainda estou refletindo - mui lentamente, reconheço - sobre o que eu tenho de fazer na minha vida a respeito de alimentação, exercícios, etc.

---
Não tive tempo ainda de procurar informações sobre pilates!

Estou sentindo falta, FISICAMENTE, de praticar exercícios. Tô me sentindo inchada, com culotes, gordura localizada... Vou tomar uma decisão sobre isso, direitinho.

---
Um selinho e um questionário interessantes: As Copas da Minha Vida.



As regras são:
1) Linkar quem te indicou: Tetê, do blog Sem Neuras.
2) Indicar o número de Copas que viveu para as amigas. Exemplo, se viveu 05 Copas, indicar 05 amigas: Indico a brincadeira para quem quiser fazer ;).
3) Qual o ano que nasceu e quais Copas do mundo você viveu e como estava naquela época? Eu nasci no final de 1983 e vivi, portanto, 5 copas.

1ª Copa - 1986: eu tinha 2 anos. Não me lembro dessa época :D.

2ª Copa - 1990: eu tinha 6 anos. Duas coisas me marcaram: ver a Argentina jogar - não que eu admirasse o futebol deles, mas me lembro de vê-los nessa Copa, enquanto não lembro de ver o Brasil jogando; a minha mãe estava numa época de fazer almôndegas e a gente comia isso durante os jogos! Nunca mais ela foi de fazer essa carne.

3ª Copa - 1994: eu tinha 10 anos e foi a Copa mais emocionante ever! Eu me lembro de ter assistido a semifinal e a final na casa de uns parentes, com a enorme família reunida. Eu até tinha uma camiseta oficial da seleção. A final, para quem estava "lá", foi emocionante, ganhamos nos pênaltis! Depois, eu e meus familiares saímos pela cidade para comemorar. Foi a Copa da minha vida, sem dúvida!

4ª Copa - 1998: eu tinha 14 anos e estava na fase mais revoltada da minha vida! Nem ligava para a Copa, ficava na internet. Eu já lia muitos jornais e revistas nessa época e, assim, acompanhei as discussões sobre o mundial. Eu também estava gordíssima, semiobesa, no auge do meu peso - 70 e poucos quilos.

5ª Copa - 2002: foi aquela Copa do Japão e da Coreia do Sul, então, as pessoas acordavam de madrugada para assistir aos jogos. Eu não levantava (nem passava pela minha cabeça acordar no meio da noite para ver o Brasil jogar). A vitória do Brasil, pra mim, só foi ok. Eu estava com 18 anos.

6ª Copa - 2006: o que me marcou nesse torneio foi que era o comecinho do meu namoro e o meu namorado, depois de ser dispensado do trabalho nos dias de jogos, vinha para a minha casa e nós ficávamos juntos, conversando, namorando, nem assistíamos às partidas. Na final, eu estava na chácara de um amigo meu e torci para a França por causa do Zidane ;). Já estava com 22 anos.

7ª Copa- a atual: estou com 26 anos e o que me marcou, sinceramente, nesta copa foram as minhas folgas do trabalho, hahaha. Usei o tempo livre para fazer várias atividades. Sinceramente, eu não estava nem ligando para o Brasil, mas, depois, achei chato terem perdido e tals. Agora, estou torcendo para a Espanha, porque sou descendente ;).

De um modo geral, não fico fanática por futebol nem em épocas de Copa, pois eu sei que não se pode ganhar todas. Mas tenho certeza de que me animarei bastante para a Copa de 2014, já que será no Brasil e eu pretendo assistir ao vivo a alguns jogos! E claro que vou torcer para que o Brasil vença bonito!

---
É isso por hoje, amigos.

Uma ótima semana para todos!