quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Dar valor, DE VERDADE

Olá, amigas, tudo bem? Desculpem a ausência. E obrigada pelos comentários no último post, em que eu falei sobre o aluno que riscou meu carro... Esse problema, nesse mês, ainda me deu bastante dor de cabeça e pano para manga para discussões e conversinhas no trabalho. Concluí que é nos momentos de crise que a falta de competência das pessoas fica mais gritante, não é? Bom, mas depois de alguns dias de sofrimento, de prejuízo emocional mesmo, esse problema meio que se encerrou - no meu cotidiano, ao menos, não na justiça.

De mais a mais, eu gostaria de falar que as coisas estão bem, mas não estão muito. Estão, no máximo, bem mais ou menos.

Nossa, eu não gosto de falar que tal ano foi um ano perdido, ainda mais quando o ano ainda nem acabou. Mas, olha, tanta coisa deu tão errado na minha vida profissional em 2010 que eu tô quase jogando a toalha e admitindo: "2010 está zicado". MISERICÓRDIA! Ou eu estou muito zen e aprendendo a lidar melhor com as perdas, ou eu verei uma cega resignada, que se conforma com as coisas erradas e nem sofre mais. Nossa, viu... E 2009 não foi nem uma maravilha, pelo contrário.

Estou meio sem direção, sabem? Mas, pelo menos, estou aprendendo bastante com meus erros...

---
Bom, quanto à alimentação, estava um caos, especialmente na época em que o problema do carro estava em seu auge. Mas, aí, no começo do mês, quando recebi a fatura de um dos cartões de crédito, me deu um "click". Eu sou do tipo de pessoa que tem "clicks", momentos de percepção do "nada". O que eu me dei conta foi que eu gasto um monte de dinheiro com remédios para depressão e para controlar o apetite (nada muito pesado) e depois não dou valor, porque também acabo torrando dinheiro em lanchonetes e supermercado, comprando junkie food e guloseimas. Assim, que contraditório, não é mesmo?

Isso sem falar no outro tanto que eu gasto em cosmésticos, cremes redutores, para estrias e celulite, em esmaltes, em produtos capilares. Para quê, se depois eu sou relapsa para usar? Enfim, tenho MESMO refletido, no meu dia-a-dia, sobre dar valor às coisas.

---

Hoje de manhã, pesei-me e o resultado foi: 66,6 kg e 36,6% de taxa de gordura. Bastante, né? Porém, para vocês terem uma ideia, eu estou maneirando de verdade na alimentação faz alguns dias. Imaginem quando eu não estava, para quanto foi o meu peso... (Não me peso faz um tempo, não sei a resposta.)
---

Bom, amigas, é isso. Tô reorganizando a minha vida.

Um beijo!