domingo, 20 de março de 2011

Sinceridade


Sei que vivo reclamando e me lamentando por aqui. E por isso já levei alguns puxões de orelha, mais pacientes ou não, mas merecidos. Sei também que dou bastante murro em ponta de faca, que não tenho força de vontade. Eu mesma me encho o saco e enjôo de mim mesma. Imagine quem lê isso aqui! Sim, tenho vergonha de vir desabafar meus fracassos, de dizer que não segui as dicas de vcs, de nem ter o que dizer quando me mandam uma palavra boa. Tudo isso para falar que eu tenho consciência dos meus defeitos, mas sinceramente estou tendo muita dificuldade para contorná-los.

Alimentação: tenho a impressão de que não esta tão ruim assim, mas está!!! Senão, eu não estaria engordando cada vez mais e mais. Desde, mais ou menos, outubro, engordei uns 5 quilos. É demais! Já cheguei aos 70 quilos. Meu Deus, como está sendo dificil emagrecer! Confio em mim? Sim, mas pouco, para achar que as coisas vão ser fáceis. Vou parar para pensar de verdade - ja disse isso antes - sobre as mudanças que posso realizar. Não quero abrir mão do que realmente gosto - como capuccino, sobremesas, pratos mais gourmet de vez em quando.

O grande problema ATUAL é que eu estou comendo fora todos os dias e não consigo resistir à variedade! Sempre deixo a restrição para depois. As opções de restaurante perto do meu trabalho são escassas: próximos mesmo há 3 restaurantes - não estou contando as lanchonetes. Desses 3 restaurantes, dois são churrascarias e um self-service muito do mais ou menos. Não faço nenhuma questão de comer carne de churrasco todos os dias, me enjoa.

As alternativas, além desses, são estabelecimentos mais distantes, para os quais eu teria de pegar o carro para almoçar. Isso, sinceramente, meio que me mata, porque inconveniente: muito sol e calor, procurar vaga para estacionar, perder a vaga perto do trabalho. Além disso, às vezes eu pego carona com um colega e, portanto, não tenho como usar carro na hora do almoço.

Para "coroar", comendo fora todos os dias tem me feito gastar muito, MUITO, um valor significativo ao longo do tempo.

Pensei em fazer o seguinte: comprar marmitex e comer na copa la do trabalho. Os problemas: eu teria de levar prato, garfo e faca de CASA, numa bolsa, porque não dá para contar que haverá lá. Ninguém merece, né?

Em segundo lugar, eu gosto de usar meu horário de almoço para otimizar meu tempo - leia-se para estudar. Não quero ficar estudando lá na copa do trabalho! Isso porque o povo lá da cozinha me veria estudando - e sendo futriqueiros que são - ficqriqm me indagando o porquê de eu estudar, etc, etc. Tenho certeza de que não é bom ficar falando para um monte de gente que estou estudando para concurso. Não ajuda em nada. E também tenho tempo de ficar estudando porque, das seções de lá, apenas o meu chefe permite que se faça uma hora de almoço. Em regra, seriam apenas 30 minutos. E isso pode dar alguma conversa, sabem? A não ser que eu me vire de alguma forma e vá estudar ao ar livre, numa pracinha ali por perto. Mereço ou não mereço???

Até tenho mais o que falar, o que pensar, mas vou parando por aqui por hoje. Por hora, vou fazer o seguinte: evitar líquidos durante as refeições, tomar mais água (meu negócio esta sendo apenas café). Acho que, para mim, o ideal é me impor metas semanais, com alguma tolerância, porque com muita pressão, eu não cumpro 100% mesmo.

Obrigada por sempre estarem por aqui, mesmo eu andando em círculos. Beijos, boa semana!

segunda-feira, 7 de março de 2011

Pensando março

Olá, amigas! Quanto tempo! Eu demoro para voltar aqui, embora sempre tenha vontade de escrever e fique ligada nos outros blogs. Enfim...

Nesse quase um mês sem escrever, fiz algumas experiências em relação ao meu trabalho, onde eu moro, etc. E acabei voltando à situação inicial. Mas acreditem: estou feliz e valorizando mais o que eu já tenho normalmente. Resumindo: as coisas vão indo de vento em popa.

Meu peso aumentou a níveis não vistos há mais de 10 anos: 69,8 kg. Ou seja, apenas 200 gramas para entrar na casa dos 70. Eu quero chegar aos 66 kg até o final de março. Será que é possível? E, mais difícil ainda, será que é possível sem me esbaldar em comida, mas também sem sofrer?

No último mês, estudei demais para um concurso, que acabou por resultar numa decepção, pois não fui bem. Mas, pelo menos, estou com o gás de estudar, no ritmo, sabem? Isso sempre ajuda.

Ah, esse meu novo trabalho também foi positivo pelo seguinte: como é uma função um pouco
burocrática, estou me tornando uma pessoa mais organizada. Eu realmente precisava disso na minha vida, pois sempre fui bastante tranquilona, acomodada, deixava tudo para depois...

É isso por hoje, amigas. Vou visitá-las.

Beijos, bom feriado!

***Update: Acabei de ver um questionário num blog e achei legal fazê-lo aqui também :)

1 - Humor:
Estou contente e um pouco já ansiosa por o feriadão estar acabando :(.


2 - Qual a sua maior preocupação com o seu cabelo?
Ele ficar bonito e arrumado/decente sem me dar muito trabalho, sem eu ter que usar o secador o tempo todo ¬¬.

3 - Batom laranja?
Uso às vezes. Prefiro os corais mesmo.

4 - Qual é a peça de roupa mais esquisita que vc tem?
Uma blusa social que tem uns detalhes meio, digamos, experimentais.

5 - Quando as coisas ficam bagunçadas na sua vida, como vc mantém a sanidade?
Não mantenho /aff... Eu rezo, como bastante e vou indo até as coisas se ajeitarem.

6 - Como vc cuida das suas sobrancelhas?
Vou a cada quinze dias numa designer da minha mais absoluta confiança e ela tira os excessos com pinça.

7 - Salgado ou doce?
Doce (L).

8 - Três coisas que levaria para uma ilha deserta: My boyfriend, um computador com internet que não acabasse a bateria (hehehe), comida.

9 - Música favorita dos Anos 90?
Vou ficar com Não Vou Lutar, do acústico dos Titãs, mas tem vááárias.

10 - Objetivos da semana:
- organizar meus estudos para o próximo concurso
- fazer alguns contatos profissionais

Obs: fiz uma tradução livre das questões. Se alguém quiser fazer, esteja à vontade. Só me avise para eu ler também ;).