quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

2015: uma b...

Boa noite.

O ano de 2015 foi um dos piores anos da minha vida. E, infelizmente, não tenho um bom pressentimento em relação a 2016... Sinto que as coisas serão difíceis no trabalho. E uma pendência financeira complicada. 

2015: morte na família de uma pessoa muito querida = 90% do que estragou o ano. Brigas com um milhão de pessoas, inclusive nos últimos dias de dezembro. Discussões, picuinhas, decepção com pessoas de que eu gostava. Total falta de educação e de respeito de várias pessoas, inclusive colegas de trabalho. Briga feia com sogra e cunhada (a ponto de eu não ir mais na casa do namorado, por uns tempos ao menos). 

Sério, estou até com medo de sair de casa nestes últimos dias de 2015.

Emagreci 7,5 kg. É grande coisa, mas ao mesmo tempo não é, porque tomei sibutramina o ano inteiro! Ou seja, é muito pouco para um ano desse remédio. Mas não vou tomar mais por muito mais tempo. 

Planos: francamente, quase nenhum. Estou sem inspiração. Ler um livro por mês, ao menos. Fazer sessões de thetahealing. Ligar no aniversário de parentes distantes. 

-----
A Minha Alma Partiu-se
Fernando Pessoa

A minha alma partiu-se como um vaso vazio.
Caiu pela escada excessivamente abaixo.
Caiu das mãos da criada descuidada.
Caiu, fez-se em mais pedaços do que havia loiça no vaso.

Asneira? Impossível? Sei lá!
Tenho mais sensações do que tinha quando me sentia eu.

(...)
Um caco brilha, virado do exterior lustroso, entre os astros.
A minha obra? A minha alma principal? A minha vida?
Um caco.
E os deuses olham-o especialmente, pois não sabem por que ficou ali.

---
Não sei quanto às outras pessoas, mas quando me abaixo para colocar os sapatos de manhã, penso, Deus Todo-Poderoso, o que mais agora?
Charles Bukowski

---
Resumos da minha vida.